segunda-feira, 30 de novembro de 2015

PPS/SP dá a largada para as eleições de 2016

Com o auditório da Assembleia Legislativa superlotado e a presença de deputados, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e pré-candidatos, o PPS de São Paulo deu início aos preparativos para as eleições municipais de 2016.

O encontro deste sábado, 28 de novembro, surpreendeu pelo grande público e pelo enorme entusiasmo, apesar da preocupação manifestada por todos com o momento difícil do país.

Foi debatida a atual crise política e econômica, além de ter sido resumido o calendário do próximo ano e a nova legislação eleitoral, em uma didática exposição do advogado Anderson Pomini.

Na abertura, a representante da Fundação Abrinq, Jenifer Caroline Luiz, fez uma apresentação do Projeto "Prefeito Amigo da Criança", que tem o objetivo de contribuir com os gestores municipais e possibilitar a troca de experiências para construção e consolidação de políticas públicas voltadas à infância e à adolescência.

O presidente do PPS paulista, deputado estadual Davi Zaia, e os demais parlamentares presentes analisaram a conjuntura da crise, gerando todo um clima de insegurança na população, mas expressaram esperança e confiança na saída democrática e republicana.

Nessa linha foram as exposições do presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire (assista); do deputado licenciado e secretário da Agricultura do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim (assista); e do deputado federal Alex Manente.

O secretário da Casa Civil do Estado, Edson Aparecido (assista), representou o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e garantiu que a prioridade para as eleições de 2016 será manter na maioria dos municípios as alianças partidárias com PPS, PV, PSB, DEM e PTB, valorizando o candidato majoritário da sigla com mais força em cada localidade.

Em nome dos prefeitos falou Toshio Toyota (PPS), em sua terceira gestão à frente do município de Novo Horizonte (já havia sido prefeito de 2000 a 2008 e foi eleito novamente em 2012, com quase 90% dos votos), uma das cidades que se destacam pela qualidade de vida em todo o Estado.

Também se pronunciaram Carlos Fernandes, presidente do PPS paulistano, valorizando a importância das atividades desenvolvidas pelo partido e pela sua fundação, e o ex-deputado Vitor Sapienza, num depoimento emocionado aos jovens filiados do partido.

Pelo fortalecimento da atuação das mulheres na política, e principalmente pela importância que o PPS dá à participação feminina, falaram as vereadoras Pollyana Gama, de Taubaté, e Mayra Costa, de Limeira.

No encerramento falou a jornalista Soninha Francine, ex-vereadora e duas vezes candidata à Prefeitura de São Paulo, atual coordenadora de Políticas para a Diversidade Sexual do Governo do Estado de São Paulo. De modo simplificado e objetivo, ela explicou que, individualmente, o PPS respeita as liberdades e as preferências de cada cidadão; e, coletivamente, defende a igualdade de direitos de todos.

O resultado do encontro foi a certeza de que o PPS tem consciência do seu tamanho, da sua história e do valoroso papel que representa na oposição ao PT e na busca de novos caminhos para a política, com ética, transparência e compromisso público, por mais justiça social, igualdade e uma visão moderna de gestão e de desenvolvimento sustentável.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Fala de Marcio França causa incômodo entre aliados

Com enorme potencial de causar estrago entre aliados, declarações do vice-governador e presidente do PSB paulista, Marcio França, mereceram resposta à altura de dirigentes do PSDB.

Tudo porque França afirmou, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, que os tucanos não valorizam o tamanho e a importância de Geraldo Alckmin, e que o governador é hoje o único nome da legenda com força política para alavancar um candidato à Prefeitura de São Paulo em 2016.

Para azedar de vez o clima, ao criticar o PSDB e fazer suas projeções eleitorais, falou não apenas em nome do PSB, mas também do PPS, do PV e do DEM, que ocupam secretarias no Governo do Estado. Desagradou a todos. Segundo Marcio França, esses partidos apoiarão o candidato do PSDB desde que ele seja escolhido por Alckmin. (Ah, é? Quem disse?)

"Não cabe ao presidente de outro partido fazer qualquer crítica às opiniões que nós temos. Ele não tem o direito de entrar na vida de um partido ao qual não pertence. Marcio França extrapolou. Eu não dou opinião sobre o que acontece no PSB", reclamou o ex-governador Alberto Goldman, vice-presidente nacional do PSDB.

Suspeita-se que o recado de França foi dirigido contra a pré-candidatura a prefeito do vereador Andrea Matarazzo, que teria sido lançada sem o aval de Alckmin, por outras lideranças tucanas como José Serra, Aloysio Nunes, FHC e o próprio Goldman.

"As pessoas do partido têm o direito de dar sua opinião e ter sua opção de candidatura. Ele não tem autoridade moral para dizer o que disse. Se ele pretendeu prestar um serviço ao governador, prestou um desserviço. A entrevista foi um desastre", concluiu Goldman.

O presidente do PSDB paulista, Pedro Tobias, também reagiu: "O Marcio França exagerou. Ele quer se qualificar como o único que gosta do Geraldo Alckmin. É como se ele fosse o único amigo do governador, o que não é verdade".

Eis as declarações que causaram desconforto entre todos os partidos aliados: "Se o PSDB indicar um nome que nós do bloco (DEM, PSB, PV e PPS) não percebermos que seja totalmente afinado ao Alckmin, nós não iremos com essa pessoa. Não temos compromisso com o PSDB, temos com o Geraldo Alckmin."

Além de falar pelos partidos sem ter procuração para tanto, Marcio França errou a mão na crítica. Para o vice, "a escolha do governador é decisiva. Se tudo depende dele, seria mais lógico que a principal opinião fosse a dele". Como não é, ele critica justamente o que seria merecedor de elogio em qualquer partido democrático: "O PSDB é um partido com formato institucional". E não deveria ser? Vai entender...

Leia também:

PPS apresenta pré-candidatura de Ricardo Young e prioriza "Diálogo por São Paulo" com PSB, PV e Rede

O #ProgramaDiferente celebra os 65 anos da TV brasileira com Vida Alves, Hebe e Lolita Rodrigues



No ano em que a televisão no Brasil completa 65 anos, o #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, relembra histórias e imagens que embalam sucessivas gerações. Assista.

Desde a inauguração da TV Tupi, de Assis Chateaubriand, com Yara Lins, Hebe Camargo e Lolita Rodrigues até uma entrevista exclusiva com a atriz Vida Alves, protagonista do primeiro beijo de novela. Também relembramos alguns comerciais antigos, inesquecíveis e geniais da época da TV à lenha e encerramos com um debate sobre a situação da TV Cultura e o movimento #EuQueroaCulturaViva.

O #ProgramaDiferente é exibido na TVAberta de São Paulo todos os domingos, às 21h30.

Na internet, está disponível na TVFAP.net e em programadiferente.com na íntegra.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Como nunca antes na história deste pais...

A prisão do tal Delcídio Amaral é mais uma pá de cal no longo e doloroso funeral petista.

Como nunca antes na história deste país, parodiando o pai-de-todos, vemos preso um senador no exercício do mandato.

Pior: não é qualquer um. É o líder do governo Dilma que foi parar atrás das grades.

Ah, mas essas prisões da Lava Jato são abusivas e blablablá...

Então, para não deixar dúvida, a prisão foi pedida pelo Procurador Geral da República, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal e referendada pelo Senado Federal. Calou a boca do "coitadismo" petista.

Aí vem Rui Falcão, o presidente do PT, "intempestivo e covarde" (nas palavras insuspeitas do presidente do Senado, Renan Calheiros, e do líder do aliado PSD, Omar Aziz), negar solidariedade ao senador preso. Como assim? Logo o PT, que louva todo e qualquer "guerreiro do povo brasileiro"...

Tem líder do governo preso, tem tesoureiro do PT preso, tem presidente do PT preso... Mas o governo e o PT não tem nada com isso, claro! (Meu Deus!)

Também não surpreende que 13 senadores tenham votado contra a decisão do STF. Além do número emblemático, quase cabalístico, são 13 também os senadores investigados na Lava Jato.

A preocupação de Renan Calheiros e Jáder Barbalho, tanto ao defenderem o voto secreto quanto ao tentarem barrar a prisão de senadores no exercício do mandato, não é por acaso.

Quem mais tem pendências com a Justiça é geralmente quem expressa maior "preocupação com a democracia" e manifesta solidariedade com o colega preso.

Foi descabido também o discurso emocionado do líder do PSDB, Aloysio Nunes. Quase um desagravo ao amigo petista, "querido por todos". Não era o momento. Parece que uns e outros precisavam pedir uma desculpa antecipada para votar pelo cumprimento da lei. Desnecessário. (Ou não?)

Só para descontrair, veja Duda Mendonça criando o jingle da campanha do Delcídio, e também Lula chegando como estrela da carreata de campanha de Dilma e Delcídio. Realmente imperdível. Como nunca antes...

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Mar de lama: o símbolo do (des)governo petista


Cá entre nós, esse mar de lama que atravessou Minas Gerais e chegou ao litoral do Espírito Santo é o símbolo mais completo deste momento de crise do (des)governo brasileiro. Irresponsabilidade. Despreparo. Desonestidade. Descaso. Desleixo.

Triste. Muito triste.

Veja também:

Faltava "glamour" na tragédia brasileira? Agora tem...

Por que não ocupam um lugar ocioso e improdutivo?

Toda a simpatia pelo movimento de jovens estudantes que ocupam suas salas de aula contra a tirania e a vilania de um governo inimigo da Educação, que ameaça fechar escolas. Ponto. Mas isso é historinha para boi dormir. Para inglês ver. A inocência e a ingenuidade dessa manifestação "espontânea" termina na página 3 desta fábula mal ajambrada.

Deixando claro, desde o início: somos favoráveis ao diálogo e contra o fechamento de escolas. Consideramos, portanto, absolutamente necessário discutir com alunos, pais e professores qualquer plano de mudança que interfira no dia-a-dia das famílias, principalmente quando envolve o ensino, que deveria ser prioridade absoluta de uma suposta "Pátria Educadora".

Também nos parece impróprio mandar policiais militares com seus sprays de pimenta, bombas de efeito moral e a típica truculência dos quartéis para pátios e portões escolares enfrentar um bando de adolescentes inofensivos. Sem rodeios e às favas as boas maneiras, desculpe a pobreza da linguagem, mas é pedir para dar merda!

Porém, feitas todas essas ressalvas, voltemos à realidade. Tirando meia dúzia de jovens bois de piranha, bem intencionados, o movimento é orquestrado e manipulado por profissionais da política. Siglas nanicas de esquerda, Apeoesp, MTST, UNE, UBES deixam seus vestígios nas ocupações. Além das digitais petistas, maiores e sempre facilmente identificáveis pelo modus operandi.

Ver faixas e camisetas do MTST dentro das escolas é tão agressivo e impactante quanto ver um PM fardado. São coisas que não combinam. Será que os jovens estudantes se sentem representados por Guilherme Boulos, o coxinha que se disfarça de sem-teto, ou pela professora Maria Izabel Azevedo Noronha, a eterna presidente (militante petista) do Sindicato dos Professores do Estado? Ou pelas entidades caça-níqueis que trocaram o ramo da Educação pela indústria das carteirinhas?

Aí o resultado acaba sendo contraditório, hilário e sem sentido: a gente ocupa as escolas agora e impede o seu funcionamento desde já, paralisando aulas e criando todo um transtorno, porque existe a possibilidade delas deixarem de funcionar no próximo ano e precisamos mostrar que somos contra a paralisação de aulas e o eventual transtorno. Entendeu?

Boulos e Bebel, vocês aceitam um conselho? Por que não ajudam a ocupar os lugares verdadeiramente mais ociosos e improdutivos deste país, ou seja, que justificariam de fato uma ocupação popular, nessa pátria deseducadora dos (des)governos petistas? Querem uma dica? Vamos tomar a Prefeitura de São Paulo e a Presidência da República dos ociosos, improdutivos e inaptos Fernando Haddad e Dilma Roussef. O Brasil agradece.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Quando a ilustração enriquece a notícia :-)


Nada como uma foto que torna a manchete mais didática: "Nova fase da Lava Jato mira Lula e pode prejudicar Dilma", ao lado do avião militar russo derrubado na Turquia. É a capa do UOL. Parabéns ao autor da mensagem subliminar... ;-)

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

O #ProgramaDiferente defende a igualdade de gênero e combate qualquer tipo de violência contra a mulher



Nesta semana mundial pela igualdade de gênero e de combate à violência contra a mulher, sem esquecer que esta foi também a Semana da Consciência Negra, o #ProgramaDiferente reforça uma campanha que deve ser diária. Assista.

Num momento em que, no Brasil e no mundo, a mulher ainda sofre com a violência, e a política retrocede em conquistas e direitos, parece que vem bem a calhar este alerta contra a discriminação e o preconceito.

A mulher é vítima de violência sexual, exploração, estupro, assédio. A mulher é vítima de violência doméstica, agressões físicas e psicológicas. Uma sociedade que se pretende moderna, digna e civilizada deve garantir ao menos a igualdade entre cidadãos e cidadãs, independente de gênero, cor, origem ou crenças políticas e religiosas.

É disso que trata o programa de hoje, da igualdade de direitos e deveres entre homens e mulheres, mas dando um enfoque diferente para uma parcela ainda mais discriminada, que são as mulheres presidiárias.

Na entrevista com a jornalista Nana Queiroz, ela fala sobre o livro "Presos que Menstruam", que retrata a vida quase clandestina de mulheres no sistema carcerário brasileiro, e deve virar filme em 2016.

Em seguida, mostramos cenas de um documentário realizado há 24 anos, também sobre mulheres encarceradas. A atualidade e a conexão entre esses dois momentos, mesmo que passadas duas décadas, demonstra que paramos no tempo para enfrentar certas questões.

O ENEM deste ano causou polêmica ao tratar o problema da violência contra a mulher. O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio de 2015 foi "A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira". Muitos criticaram o suposto feminismo ou partidarismo da prova. Será um exagero refletir sobre esse tema?

O #ProgramaDiferente é exibido na TVAberta de São Paulo todos os domingos, às 21h30.

Na internet, está disponível na TVFAP.net e em programadiferente.com na íntegra.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Justiça, eleições, ratos, ratinhos e ratazanas

Painel, Folha de S. Paulo (19/11/2015)
Uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral, publicada nesta semana, manteve a decisão do TRE-SP de aplicação de multas eleitorais ao prefeito da São Paulo, Fernando Haddad, e ao ex-presidente Lula por propaganda eleitoral antecipada em maio de 2012.

Lembre aqui do caso:

TRE multa Lula, Haddad e Ratinho por propaganda

#RatoNoRatinho é top do twitter com Lula e Haddad


Na oportunidade, os membros do Partido dos Trabalhadores participaram de entrevista ao vivo no Programa do Ratinho, pelo SBT. Cada um pagará o total de R$ 5 mil.

O apresentador Ratinho também foi multado em R$ 10 mil e a emissora de Silvio Santos em R$ 15 mil. Uma mixaria para o tamanho da ilegalidade. Mas, enfim, é uma condenação.

A ação foi proposta pelo PPS e pelo PSDB em 2012. Não cabe recurso.

Faltava "glamour" na tragédia brasileira? Agora tem...



Este vídeo é para (des)agradar gregos e troianos, pretos e brancos, petralhas e coxinhas, parisienses e marianenses... Assista!

Para os babacas que patrulham a indignação alheia. Para aqueles que te julgam por se emocionar com a morte de inocentes na França como se outras tragédias no resto do mundo não te sensibilizassem também. Para os idiotas que praticam o altruísmo seletivo e inventaram a "emoção de classes".

Te condenam por postar solidariedade aos franceses, como se isso te impedisse de sentir igualmente por africanos e brasileiros, por católicos, judeus e muçulmanos, por humanos e por animais.

Se você põe no teu perfil das redes sociais as cores da bandeira da França, o berço da República, a pátria-mãe da liberdade, da igualdade e da fraternidade, alguém vem te acusar de alienado e cúmplice de todos os males do mundo.

Afinal, por que não a bandeira da Palestina, de Angola, da Síria, do Iraque, da Turquia, da Tunísia ou do Senegal?

Ah, mas os franceses não vestiram verde-e-amarelo pelo rompimento da barragem de Mariana... Eles choram as mortes do Bataclan mas não tem a mínima noção de onde fica o Rio Doce... Tá, e dai?????

Vamos chorar pelos inocentes de todos os cantos do planeta. Do Norte, do Sul. Do Ocidente, do Oriente. Vamos orar, pensar, agir, reagir. Vamos ser livres! Vamos ser felizes! Vamos viver a vida do jeito que a gente quer, porra!

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Novo capítulo da incomPTência da Prefeitura: a eleição dos conselheiros tutelares deve ficar para 21/2/2016

Dando continuidade à nossa postagem de ontem ("O menor problema de um governo menor") sobre o imbróglio causado pela incomPTência da Prefeitura na (des)organização da eleição para os Conselhos Tutelares, há hoje um novo capítulo, mas ainda sem a decisão final, que caberá ao Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA).

A princípio, está  anulado todo o processo eleitoral. A escolha dos novos conselheiros tutelares de São Paulo deve ficar para o dia 21 de fevereiro. Foi este o encaminhamento após reunião entre os (des)organizadores da eleição, o prefeito Haddad e representantes do Ministério Público. O CMDCA se reúne nesta semana.

Leia nota da Comissão Central do Processo de Escolha dos Conselhos Tutelares, vinculada à Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania, cujo titular é Eduardo Suplicy (que deve ser exonerado em 2016 para disputar uma vaga de vereador pelo PT):

"A Comissão Central do Processo de Escolha delibera por tornar nula a escolha para os membros do conselho tutelar, ocorrida no último domingo, em 15 de novembro de 2015.

Orienta que o novo pleito ocorra no dia 21 de fevereiro, cabendo ao CMDCA aprovar o novo cronograma do processo de escolha, bem como a nulidade do pleito."

Ainda segundo a comissão, foram apontados "diversos problemas que serão apurados separadamente". Veremos. As inscrições dos mais de 1.500 candidatos devem ser mantidas.

“A decisão cabe à comissão e ao conselho. O Executivo está disposto a acatar qualquer que seja. Se a decisão for anular os atos de domingo, me comprometo a trazer o novo processo para outra esfera de governança, encabeçada pela Secretaria de Governo”, disse Haddad.

O prefeito também afirmou que a Controladoria Geral do Município (CGM) irá apurar as responsabilidades na prestação de serviços contratados pela Prefeitura para implementação do processo eletrônico que deveria ter sido utilizado no domingo e simplesmente não funcionou.

Conclusão: o atestado de incomPTência foi passado e assinado. Só nos resta dizer: #ForaPT #ForaHaddad

terça-feira, 17 de novembro de 2015

O menor problema de um governo menor

Certamente é visto como um problema "menor", dentre inúmeros problemas maiores e mais graves destes governos petistas que se apequenam dia a dia, o imbróglio provocado na eleição dos Conselhos Tutelares da Criança e do Adolescente.

Tudo estava errado desde o começo: eleições adiadas de outubro para novembro, corte na quantidade de colégios eleitorais, falta de transparência e de publicidade em todo o processo, tentativa de aparelhamento e partidarização dos conselheiros, urnas eletrônicas que não funcionavam e, pasme, como atestado final de tanta incompetência, até a falta de cédulas de papel.

Juntou-se a irresponsabilidade e a ineficácia do prefeito Fernando Haddad à folclórica morosidade do secretário Eduardo Suplicy e o resultado não poderia ser outro: ninguém sabe o que aconteceu na eleição de domingo, nem o que ainda pode acontecer.

Está tudo suspenso, após a enxurrada de suspeitas de ilegalidades e denúncias formuladas. O Ministério Público entrou no jogo, enquanto a decisão da Prefeitura é uma não-decisão: publicou no Diário Oficial que mantém a "suspensão da apuração até posterior deliberação do CMDCA sobre os procedimentos e encaminhamentos relativos a este processo". 

A tal comissão subordinada a Suplicy informou que aguarda agora por uma reunião com o prefeito Haddad "a fim da redução de danos deste processo". Parece piada? Mas é o comunicado oficial da "decisão".

As eleições para os Conselhos Tutelares sempre funcionaram bem, há mais de 20 anos. Bastou o PT colocar a mão... Fosse um país sério, governado por gente idem, seria ou não seria o suficiente para esse pessoal pegar o boné e pedir para sair?

Lobão: "Em Busca do Rigor e da Misericórdia"



O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, acompanha o lançamento do terceiro livro escrito pelo músico Lobão: "Em Busca do Rigor e da Misericórdia – Reflexões de um Ermitão Urbano", um registro de todo o processo criativo e da produção do seu novo álbum, "O Rigor e a Misericórdia", primeiro lançamento de canções inéditas em 10 anos. Veja a entrevista exclusiva.

O livro é o que Lobão define como uma "narrativa poético-político-musical" do momento brasileiro, de "miséria cultural, de visão assimétrica da realidade e desonestidade intelectual profunda". Afiadíssimo na crítica, ele mostra as razões de ter se transformado em uma espécie de inimigo público nº 1 do PT - e comenta as consequências deste papel que assume com desenvoltura.

Em 2010, o cantor lançou a autobiografia "50 Anos a Mil", escrito em parceria com o jornalista Claudio Julio Tognolli, outro craque em polêmicas e provocações (veja a entrevista exclusiva dele), autor de livros como "Bem Vindo ao Inferno", com a história de uma das vítimas do médico Roger Abdelmassih, condenado por estupro e abuso de pacientes, e "Assassinato de Reputações", uma verdadeira devassa de Romeu Tuma Júnior nos métodos e práticas do PT e de Lula.

Em 2013, Lobão deu sequência à carreira literária com "Manifesto do Nada na Terra do Nunca", que trazia o relato do "clima de estupidez ideológica, estelionato intelectual ou, simplesmente, suborno, com grande parte dos artistas, dos cineastas, da imprensa e dos intelectuais nocauteada". E constatava: "Quem ousa tecer algum comentário um pouco mais crítico sobre a realidade que nos rodeia acaba sofrendo violências morais e psicológicas, sempre no intuito de eliminar o interlocutor."

Além de aprofundar estas reflexões no livro recém-lançado, outra novidade é o financiamento coletivo do álbum inédito, com dinheiro arrecadado pelo método de crowdfunding. Lobão compôs e gravou sozinho todo o CD, descrito pelo músico como 100% independente. "O Rigor e a Misericórdia" inclui as faixas "A Marcha dos Infames" e "Os Vulneráveis", divulgadas previamente pela internet.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Novembro: aniversário de Astrojildo e Giocondo



Novembro marca o aniversário de nascimento de dois personagens que construíram a história do PCB/PPS e merecem ser lembrados nos dias de hoje: Astrojildo Pereira, natural de Rio Bonito (RJ), nascido há 125 anos, num 8 de novembro de 1890; e Giocondo Dias, que completaria 102 anos em 18 de novembro, soteropolitano nascido em 1913.

Jornalista, escritor, crítico literário, ex-anarquista, Astrojildo Pereira Duarte Silva foi fundador do Partido Comunista Brasileiro, em 1922, e dá nome à fundação que hoje preserva a sua memória e a de centenas de outros militantes históricos na luta da esquerda democrática e republicana.

Ex-secretário geral do Partido Comunista Brasileiro, Giocondo Gerbasi Alves Dias foi cabo do Exército, um dos líderes da Aliança Nacional Libertadora e, anos mais tarde, eleito deputado constituinte na Assembleia Legislativa da Bahia (cujo mandato foi cassado e devolvido simbolicamente em homenagem póstuma, há dois anos, no centenário do seu nascimento).

Para relembrar algumas passagens importantes da vida de Giocondo Dias, vale assistir o documentário "O Assalto ao Poder", de Eduardo Escorel, sobre os levantes militares de 1935 em três diferentes capitais brasileiras, que tentaram derrubar o governo do presidente Getúlio Vargas.

Assista também, na matéria acima, da TVFAP.net, que lembra o aniversário de Giocondo Dias, depoimentos colhidos em 2008, no ano do cinquentenário da Declaração de Março de 1958, da qual, como secretário de organização do PCB, Giocondo foi o principal articulador político; e a homenagem póstuma com a devolução simbólica do seu mandado cassado, na Bahia.

Relembre também a história de Astrojildo Pereira, dentro do Projeto "Brasileiros e Militantes", do jornalista Ivan Alves Filho. Assista "A Casa de Astrojildo - Partes 12 e 3".




Leia mais sobre Astrojildo Pereira:

“Jildo” – 50 anos de ausência



sexta-feira, 13 de novembro de 2015

No aniversário da República, um momento de nostalgia: com FHC o Brasil era feliz e não sabia!



Neste aniversário de 126 anos da Proclamação da República, o #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, é inteirinho com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Isto porque, num momento em que o Brasil atravessa uma das suas mais graves crises políticas, parece oportuno valorizar o papel fundamental de FHC para a estabilização econômica e a consolidação da democracia. Assista.

Se compararmos os oito anos do presidente Fernando Henrique, somados aos dois anos do presidente Itamar Franco, depois do impeachment do Collor, com os oito anos do Lula e os cinco da Dilma, dá vontade de voltar no tempo.

Por mais que fizéssemos oposição a FHC, com uma série de críticas ao governo tucano, temos de reconhecer os avanços para o país. Além disso, após virem a público os métodos e os escândalos dos governos petistas, aumenta o nosso sentimento de nostalgia.

Por isso, neste 15 de novembro, fazemos um programa especial para valorizar as conquistas democráticas e os princípios republicanos. Também resgatamos um pouco da história do Real, que botou em ordem a economia brasileira a partir do governo Itamar, há 21 anos, e exibimos com exclusividade trechos de um encontro recente com Fernando Henrique, em que ele analisa a atual crise do governo Dilma.

O #ProgramaDiferente é exibido na TVAberta de São Paulo todos os domingos, às 21h30.

Na internet, está disponível na TVFAP.net e em programadiferente.com na íntegra.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

PPS pede impugnação da licitação de ônibus em SP

O PPS quer a impugnação dos editais da concorrência aberta pela Prefeitura de São Paulo para contratar as empresas que vão operar o serviço de ônibus na capital pelos próximos 20 anos.

Iniciada mais de dois anos após a previsão original, que era julho de 2013, mas que acabou suspensa após os protestos de junho daquele ano contra o aumento da tarifa de ônibus, a licitação foi finalmente publicada em outubro de 2015. Nos próximos dias 18 e 19 de novembro estão previstas a entrega dos envelopes e a abertura das propostas dos interessados.

"Não podemos admitir que esse processo licitatório prossiga da forma que está sendo concebida pelo Poder Público, trazendo um modelo pretensioso de concessão para o transporte público municipal de passageiros, mas cujas regras não passam de mais uma peça de ficção, tal como ocorreu em 2003", afirma a representação formulada pelo presidente do PPS paulistano, Carlos Fernandes, ex-subprefeito da Lapa (2010/2011) e superintendente de fiscalização da SPTrans na gestão Serra/Kassab (2005/2008).

"O atual sistema de transporte é fruto das licitações promovidas em 2003, formatado pelos mesmos dirigentes que elaboraram os editais das concorrências em andamento, e até hoje não foi completamente implantado, passados mais de 12 anos de vigência dos contratos", prossegue a representação.

É uma referência explícita ao secretário Jilmar Tatto, que ocupa agora na gestão do prefeito Fernando Haddad o mesmo cargo que ocupava em 2003, durante a administração de Marta Suplicy, e assinou os contratos vigentes.

"A própria gestão reconhece que somente neste ano, nos aditivos contratuais assinados em julho passado, conseguiu transferir para a responsabilidade das concessionárias a manutenção e operação dos terminais de ônibus e estações de transferência; situação que já estava prevista no edital da concorrência de 2003 e vinha sendo absorvida pela administração municipal por inviabilidade de realização", diz Carlos Fernandes. "Somente agora, depois de mais de 12 anos e às vésperas da publicação dos novos editais, a municipalidade consegue operacionalizar uma condição prevista lá atrás, em 2003". 

O PPS questiona a competência desses mesmos gestores petistas para fazerem cumprir algo que já se mostraram incapazes. "Os editais publicados trazem uma rede fantasiosa, que não se sustenta diante da infraestrutura e da malha viária disponíveis para a operação do sistema", afirma o presidente do partido. "É de se perguntar: qual será o prazo do período de transição desta vez?"

Na opinião do dirigente do PPS, outras condições previstas nas duas concorrências se mostram igualmente longe de serem cumpridas, como intervalos razoáveis entre partidas, o número de passageiros por m² e o controle eletrônico da operação. 

Há outras exigências que, ainda que desejadas, dificilmente serão aplicadas no prazo determinado, segundo Carlos Fernandes, como a utilização de combustível não fóssil até o final de 2018 e a obrigação de frota integral com ar condicionado, por absoluta inviabilidade técnica e financeira.

A representação traz todo um arrazoado de informações e questionamentos técnicos sobre o custo do sistema, a metodologia de remuneração e até a forma da concessão de garagens para justificar a suspensão da atual concorrência, proporcionando um prazo maior para análise (de 30 para 60 dias), com os devidos ajustes e também para evitar um direcionamento do contrato para determinadas empresas.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Cynara Menezes, do Blog Socialista Morena, e Lino Bocchini, da CartaCapital, estão na TVFAP.net



O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, acompanhou na noite desta terça-feira, 10 de novembro, em São Paulo, o lançamento do livro "Zen Socialismo - Os Melhores Posts do Blog Socialista Morena", da jornalista Cynara Menezes.

Natural de Ipiaú, região cacaueira da Bahia, ela se define como "socialista, comunista e bolivariana". Em 28 anos de carreira, já trabalhou nos jornais Folha de S. Paulo e Estadão, e nas revistas IstoÉ, Veja, Vip e Carta Capital. Hoje mantém uma coluna na Caros Amigos e o blog pessoal com o nome inspirado no antropólogo, político e escritor Darcy Ribeiro (1922-1997), que concebeu o "socialismo moreno", um socialismo à brasileira.

O "zen socialismo", ou uma visão holística do socialismo moreno, é o que ela prega neste livro da Geração Editorial, com prefácio de Jean Wyllys, e na sua atuação militante nas redes sociais, onde é uma espécie de musa da esquerda guerrilheira virtual que combate diariamente um exército imaginário de coxinhas golpistas.

Outro entrevistado no evento foi o jornalista Lino Bocchini, editor-geral de mídia on-line e redes sociais da CartaCapital, ele também um militante declarado de esquerda, com passagem pela Editora Abril, Grupo Folha, Revista Trip e Prefeitura de São Paulo (gestão Marta Suplicy), além de ser o criador da polêmica paródia ‘Falha de S Paulo’, site proibido pela Justiça.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

O "shownarlismo" de Paulo Henrique Amorim



O jornalista Paulo Henrique Amorim, atualmente na Rede Record e editor de um blog próprio, o polêmico Conversa Afiada, completa mais de 50 anos de carreira com passagens por alguns dos mais importantes órgãos de imprensa e TVs do país (Rede Globo, Revista Veja, Revista Exame, Rede Bandeirantes, Jornal do Brasil, TV Cultura, entre outros), e reúne em livro este meio século de atividade profissional recheada de processos na Justiça: "O Quarto Poder - Uma Outra História".

O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, entrevistou Paulo Henrique Amorim, além de acompanhar uma palestra do jornalista e o lançamento na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. Assista com exclusividade.

Controverso, Amorim fez o que se esperava dele (meio jornalista, meio showman): atacou a Globo e a família Marinho, o povo de São Paulo, o PSDB, o Ministério Público, a Polícia Federal, o Ministro da Justiça e exaltou as maravilhas que só ele e seus seguidores enxergam nos governos de Lula e Dilma.

Ele falou ainda da "democratização" da mídia, elogiou a recém aprovada Lei do Direito de Resposta e comentou a condenação sofrida por injúria racial ao afirmar que o jornalista Heraldo Pereira, da Globo, era um "negro de alma branca". Vale a pena conferir.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

TVFAP.net: "Saídas para a Crise" no Rio de Janeiro



A FAP (Fundação Astrojildo Pereira), com apoio do Diretório Estadual do PPS do Rio de Janeiro e mediação do jornalista Luiz Carlos Azedo, promoveu mais uma edição do seminário “Saídas para a Crise”.

A TVFAP.net acompanhou com exclusividade, na Asa (Associação Scholem Aleichem), as palestras dos economistas Mansueto Almeida, do Ipea; Felipe Salto, da FGV/SP; Sérgio Besserman Vianna, da PUC-RJ; e José Luis Oreiro, da UFRJ. 

Além do mediador e dos palestrantes, foram entrevistados o humorista Marcelo Madureira (Casseta & Planeta); a psicanalista e mestre em política social Ivanisa Teitelroit Martins; os dirigentes do PPS/RJ Roberto Percinoto, Gilvan Cavalcanti de Melo e Luiz Antonio Martins (Gato); e os dirigentes da FAP Juarez Amorim, Caetano Araujo e Fausto Matto Grosso.

Assista aqui a reportagem completa do evento no Rio. Reveja também como foi a primeira edição do “Saídas para a Crise”, em Brasília.

sábado, 7 de novembro de 2015

#ProgramaDiferente celebra o Dia Mundial do Cinema



Fechando a semana em que o mundo comemorou o Dia do Cinema, o #ProgramaDiferente também fala da chamada Sétima Arte, ou desta que é a síntese das outras seis artes originais: música, pintura, escultura, arquitetura, literatura e artes cênicas. Assista.

A entrevista é com Toni Venturi, antes de tudo um cineasta militante. Diretor de filmes como "Cabra-Cega" e "O Velho, A História de Luis Carlos Prestes", ele não disfarça o papel político e ideológico do seu trabalho.

A matéria é sobre o concorrente do Brasil no Oscar de 2016, "Que Horas Ela Volta?", outra obra com forte crítica social e política. Veja uma entrevista exclusiva com a diretora Anna Muylaert e entenda o sucesso do filme estrelado pela atriz Regina Casé.

O debate final é sobre o maior nome do cinema brasileiro, o lendário Mazzaroppi, nosso eterno Jeca Tatu, a identidade do povo, a miscigenação e a alma do caipira. Com 32 filmes, entre os anos 50 e 70, e desprezado pelos intelectuais da época, Mazaroppi foi um revolucionário e levou multidões aos cinema.

O #ProgramaDiferente é exibido na TVAberta de São Paulo todos os domingos, às 21h30.

Na internet, está disponível na TVFAP.net e em programadiferente.com na íntegra.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Mulheres presas: discriminação, preconceito e violência



O tema das mulheres presidiárias no Brasil está em pauta: da notícia de uma presa grávida que deu à luz em solitária no Rio, após detentas de celas vizinhas pedirem ajuda em vão, passando pelo livro "Presos que Menstruam: A Brutal Vida das Mulheres Tratadas como Homens nas Prisões Brasileiras", da jornalista Nana Queiroz (veja entrevista exclusiva), até o artigo "Prisões Femininas", da socióloga Julita Lemgruber, publicado nesta semana no espaço de Marcelo Freixo, na Folha de S. Paulo, em apoio ao movimento #AgoraÉQueSãoElas, o fato é que está se discutindo como nunca o assunto das mulheres encarceradas.

Não que seja um problema novo. Ao contrário. A história se repete há décadas, mas é tabu. Se as mulheres livres nas ruas já sofrem preconceito, discriminação e violência, imagine como é a vida atrás das grades. O livro da jornalista Nana Queiroz deve virar filme em 2016. O curioso é que, há 24 anos, o jornalista Mauricio Huertas - então um jovem estudante universitário - já tratava do mesmo tema em documentário.

A TVFAP.net exibe com exclusividade o documentário "As Filhas da Culpa", produzido em 1991. Apesar de passado tanto tempo entre um trabalho jornalístico e outro, a atualidade do assunto impressiona. Assista.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Prefeito moderninho quer "lata de sardinha" na rua?

Aí você descobre que a gestão "ruinddad" vai premiar as empresas de ônibus que soltarem nas ruas as velhas "latas de sardinha"...

Quanto mais gente transportada como gado, maior a remuneração das empresas e o lucro dos empresários.

Fala sério... 

Nosso "agente civilizatório" é um fanfarrão! Irresponsável, incomPTente, inaPTo para ser prefeito.

E ainda tem quem ache o máximo da modernidade esse Haddad... Ai, ai, ai!

O tal "indice de produtividade" da nova licitação do transporte paulistano estabelece bônus para quem transportar passageiros acima da demanda prevista nos estudos da SPTrans. Leia aqui.

Só nos resta dizer: #‎foraHaddad‬ ‪#‎foraPT‬ #foraincomPTentes

Veja a íntegra do "Diálogo por São Paulo"



Construir um programa de governança democrática e um pacto de governabilidade, com foco principalmente no desenvolvimento sustentável, na qualidade de vida e na garantia de uma administração eficaz para uma cidade inteligente.

É o que pretendem o PPS, o PSB, o PV e a Rede Sustentabilidade no "Diálogo por São Paulo", que teve um primeiro seminário, seguido de debate aberto à participação da população, no dia 17 de outubro de 2015, no Salão Nobre da Câmara Municipal.

Por iniciativa destes quatro partidos e dos vereadores Ricardo Young (PPS), Gilberto Natalini (PV) e Eliseu Gabriel (PSB), foram apresentados quatro painéis temáticos (desenvolvimento sustentável, agenda ambiental, agenda social e governança democrática) que contaram com a participação, entre outros, do vice-governador paulista, Marcio França, do secretário do Meio Ambiente de Campinas, Rogerio Menezes, e da secretária de políticas sociais de Belo Horizonte, Luzia Ferreira.

Antigos companheiros na luta pela redemocratização estão juntos novamente por uma cidade mais justa, dinâmica, eficiente e refratária ao aparelhamento e à falta de transparência no trato com a coisa pública. Um passo adiante para a construção de uma São Paulo mais moderna e acolhedora. Uma iniciativa que desperte para a necessidade vital de uma verdadeira transformação.

Discutem-se nomes, apresentam-se potenciais candidatos, mas a discussão essencial sobre a cidade fica sempre em segundo plano. Entendemos que no momento a prioridade é formar um novo bloco de forças políticas e sociais, que apresentem propostas alternativas viáveis para iniciarmos o esperado período "pós-PT" em São Paulo e no Brasil.

Os nomes surgirão - e os apresentaremos oportunamente - para representar esta nossa proposta, mas os candidatos a prefeito e vice-prefeito, em 2016, devem ser consequência do debate e da construção política, em vez de serem impostos por dirigentes partidários, como normalmente ocorre.

É essa construção programática que estamos propondo, que vale para a capital e para cada município do Estado. Quem está disposto a desenvolver a ideia? Assista a íntegra do evento, com exclusividade, na TVFAP.net, e participe dos próximos eventos, que serão divulgados aqui, oportunamente.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Se 49% reprovam Haddad, 51% vivem onde?

O título acima é, obviamente, uma provocação. Uma ironia. Mas é sempre bom explicar isso, em tempos de desinteligência na política e nas redes sociais. O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), atinge índice recorde de reprovação: 49% do eleitorado paulistano considera a sua gestão ruim ou péssima. Até aí, OK. Mas o que nos espanta é que os outros 51% ainda não apontem também essa "ruinddad".

Pela avaliação do Datafolha, Haddad consegue a proeza de estar pior que a presidente Dilma Roussef no conceito do brasileiro. Uau! Lula-lá! A invenção lulista só não foi pior avaliada que a cria do Maluf eleita em 1996, o então prefeito Celso Pitta, que enlameou a cidade até 2000.


Os números da avaliação da gestão Haddad, analisados diante da pesquisa de intenção de votos para a Prefeitura de São Paulo nas eleições de 2016, dão um quadro do que o paulistano vem pensando da cidade e da atual administração.

São 34% que ainda o consideram um prefeito "regular" e, pasme, 15% que julgam Haddad "ótimo ou bom". Meu Deus! Na intenção de voto para 2016, Haddad se mantém com 12%, embolado na disputa do segundo lugar. Podemos supor que pode chegar facilmente aos 15% de fãs, mas também nada o impede de reconquistar votos entre o julgamento "regular". Ou seja, Haddad está no jogo. Bom para ele e para o PT, péssimo para São Paulo.

A menos de um ano da eleição, o cenário está bem confuso. Na liderança aparece com folga o deputado federal Celso Russomanno (PRB), que também liderou durante toda a campanha de 2012 e acabou em terceiro lugar, atrás de Haddad e José Serra (PSDB).

Na virtual disputa por um lugar no segundo turno de 2016 aparecem empatados Marta Suplicy (PMDB), José Luiz Datena (PP) e Haddad. Isso nas respostas estimuladas, que fique bem claro. Por que, nas respostas espontâneas, 50% dizem não saber e outros 24% dos paulistanos votariam em branco ou nulo. Ou seja, 74% do eleitorado ainda está alheio às eleições.


Na primeira colocação "espontânea", como não poderia deixar de ser, está o prefeito Haddad (com 7%), seguido de Russomanno, Marta, Serra e Datena (2% cada um), que são os nomes registrados na memória do eleitor e na mídia vinculados à eleição para a Prefeitura.

Outros dados importantes relacionados das duas pesquisas (a avaliação da gestão Haddad e a intenção de voto para 2016): o melhor cenário de Haddad é entre o eleitorado jovem (16 a 24 anos), de maior renda e escolaridade superior. Ou seja, contrariando o histórico do PT, que vai bem na periferia, enquanto no centro expandido os tucanos dominam.


Certamente a avaliação positiva de Haddad entre os jovens, mais ricos e com maior instrução se dá pelo marketing da gestão: ciclovias, ocupação do espaço público e todo o blablablá de quem não tem nada para mostrar e apela para a tal "agenda civilizatória". Pura balela.

Tanto é assim que Haddad presta um desserviço à mobilidade e à sustentabilidade. O prefeito conseguiu que a principal marca da sua administração (as ciclovias, que todo mundo defendia) tenha uma rejeição crescente. Haja "ruinddad"!


Diante deste quadro complexo, dá pra tirar algumas conclusões ligeiras. Vamos às duas principais:

1) Quando for definido o candidato do PSDB, que tende a crescer, podemos supor que a situação do Haddad vai complicar bastante (e a do Russomanno também);

2) Apesar disso, os números mostram que existe um vazio enorme a ser ocupado por uma candidatura que fuja da polarização PT x PSDB e que encante o eleitorado mais jovem e mais esclarecido, que não gosta de Haddad mas também não enxerga ainda outra opção para uma cidade sustentável, moderna e inteligente.

É aí que a corrida eleitoral começa a nos interessar... Leia aqui:

PPS apresenta pré-candidatura de Ricardo Young e prioriza "Diálogo por São Paulo" com PSB, PV e Rede