sábado, 29 de agosto de 2015

#ProgramaDiferente faz uma viagem na sua mente com a presença de Fabio Puentes e Flavio Gikovate



Nesta semana, o #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, faz uma viagem na mente dos telespectadores e internautas. Fala de hipnose e de psicologia, e ainda propõe dois testes de ilusão de ótica para você e qualquer um participar agora mesmo. Assista.

Hipnose é técnica ou truque? Ciência ou show? Descubra na entrevista com Fabio Puentes, o hipnólogo mais conhecido da América Latina. Uruguaio com formação na Espanha, presença frequente em programas de TV e palestrante concorrido, ele atende pacientes no Hospital das Clínicas de São Paulo.

Para que serve a hipnose? É um recurso que funciona apenas com pessoas sugestionáveis? Quais as aplicações clínicas, terapêuticas, forenses, esportivas?

É verdade que a hipnose ajuda a emagrecer? E a deixar de fumar? A hipnose pode melhorar o desempenho de atletas? E a eficiência de um vendedor?

Ela pode influenciar um grande número de pessoas, por meio de mensagens religiosas ou da propaganda política, por exemplo? O nazismo usava técnicas de hipnose? E os pastores evangélicos na mídia? E os marqueteiros do PT?

Acompanhe a íntegra da entrevista com Fabio Puentes e assista no final algumas demonstrações incríveis. Parece coisa combinada, mas não é. Veja com os seus próprios olhos e ouça o depoimento de quem se submeteu à hipnose.

Assista ainda uma entrevista exclusiva com o médico psiquiatra, psicoterapeuta, conferencista e escritor Flavio Gikovate. Aos 72 anos de idade e com 50 de profissão, ele fala de relacionamentos humanos, redes sociais e interatividade virtual, das mudanças e novidades no comportamento dos jovens, do aumento do individualismo e da mudança de paradigmas nas relações afetivas.

Também opina sobre o ódio, a revolta e o ressentimento demonstrados na internet por um número crescente de pessoas. Com mais de 10 mil pacientes atendidos e um milhão de leitores dos seus diversos livros publicados, anuncia o seu mais novo lançamento: a obra autobiográfica intitulada "Gikovate, Além do Divã".

É uma referência clara ao programa de rádio que completa, agora em agosto, oito anos no ar ("No Divã do Gikovate", exibido todos os domingos, na CBN) e também ao fato dele nunca ter usado divã no consultório nem seguir as doutrinas tradicionais.

O programa “No Divã do Gikovate” é gravado semanalmente no Teatro Eva Herz, na Avenida Paulista, com a participação do público. Assista a íntegra da entrevista. Acompanhe também a gravação na íntegra de um dos programas exibidos pela Rádio CBN. Veja ainda cenas inéditas dos bastidores do programa, com o "aquecimento" de Gikovate e da plateia momentos antes da gravação.

#ProgramaDiferente é exibido na TVAberta de São Paulo todos os domingos, às 21h30.

Na internet, está disponível na TVFAP.net e em programadiferente.com na íntegra. Assista.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

TVFAP.net exibe Diálogo Brasil ao vivo do Pará


A TVFAP.net exibiu ao vivo do Pará, nesta sexta-feira, 28 de agosto, das 15h às 19h, o 5º e último “Diálogo Brasil: Reflexões sobre a crise e os caminhos democráticos”. Trata-se de uma série de encontros promovidos por PPS, PSB e PV, com as suas respectivas fundações partidárias - Fundação Astojildo Pereira, Fundação Verde Herbert Daniel e Fundação João Mangabeira.

O encerramento em Belém do Pará teve como tema a Sustentabilidade e o Desenvolvimento Humano, com palestras de Carlos Edilson Manesck, reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA), Philip Fearnside, climatologista e pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazonas (INPA/MCT), Luciano Rezende (PPS/ES), prefeito de Vitória, capital do Espírito Santo, e Adalberto Veríssimo, coordenador do Imazon.

O representante do PPS e da Fundação Astrojildo Pereira na organização e coordenação deste último encontro da série foi o deputado federal Arnaldo Jordy (PPS/PA), com apoio do diretor-geral da FAP, Juca Amorim (MG), e do presidente do Conselho Curador, Alberto Aggio (SP). Reveja também aqui na íntegra o encontro inicial em São Paulo.

“Diálogo Brasil: Reflexões sobre a crise e os caminhos democráticos” 
Data e horário: 28 de agosto de 2015, das 15h às 19h
Local: Travessa Dom Pedro I, 750, praça Brasil, Umarizal, Belém/PA

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

#ProgramaDiferente vai parar no divã do Dr. Gikovate



O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, entrevista com exclusividade o médico psiquiatra, psicoterapeuta, conferencista e escritor Flavio Gikovate. Assista a íntegra da entrevista.

Aos 72 anos de idade e com 50 de profissão, ele fala de relacionamentos humanos, redes sociais e interatividade virtual, das mudanças e novidades no comportamento dos jovens, do aumento do individualismo e da mudança de paradigmas nas relações afetivas.

Também opina sobre o ódio, a revolta e o ressentimento demonstrados na internet por um número crescente de pessoas. Com mais de 10 mil pacientes atendidos e um milhão de leitores dos seus diversos livros publicados, anuncia o seu mais novo lançamento: a obra autobiográfica intitulada "Gikovate, Além do Divã".

É uma referência clara ao programa de rádio que completa, agora em agosto, oito anos no ar ("No Divã do Gikovate", exibido todos os domingos, na CBN) e também ao fato dele nunca ter usado divã no consultório nem seguir as doutrinas tradicionais.

Nos anos 70, Gikovate chocava a sociedade (e os colegas terapeutas) por desvincular sexo de amor. As relações atuais confirmaram essa percepção e exacerbaram esta separação. Também outra definição provocativa se acentua: o "sexo frágil", para ele, continua sendo o homem, e não a mulher. Ele esclarece a polêmica.

Formado em Psiquiatria pela USP, foi assistente clínico do Institute of Psychiatry, na London University, e pioneiro nos estudos sobre sexo, amor e vida conjugal no Brasil. Além do programa semanal de rádio, já assinou, por muitos anos, colunas na Folha de S. Paulo e na revista Cláudia. A estreia foi na Capricho. Também já teve um programa na TV Bandeirantes e chegou a participar de uma novela de Silvio de Abreu (Passione, na Rede Globo), interpretando a si mesmo.

Outro desafio inovador de Gikovate foi integrar a chamada "Democracia Corinthiana", entre 1982 e 1984, movimento liderado por um grupo de jogadores politizados, como Sócrates, Wladimir, Zenon e Casagrande, que foi um marco na história do futebol brasileiro, numa época importante da redemocratização do país e da campanha "Diretas Já".

Este foi um período do Corinthians no qual contratações, regras de concentração, consumo de bebidas alcoólicas, liberdade para expressar publicamente opiniões políticas e outros direitos individuais e coletivos eram decididos através do voto igualitário de seus membros. Ou seja, em tese, o voto do treinador ou do diretor de futebol, por exemplo, valia tanto quanto o de um jogador ou de qualquer outro funcionário da comissão técnica.

O programa “No Divã do Gikovate” é gravado semanalmente no Teatro Eva Herz, na Avenida Paulista, com a participação do público. Acompanhe aqui, com exclusividade para o #ProgramaDiferente, a gravação na íntegra de um dos programas exibidos pela Rádio CBN. Veja também cenas inéditas dos bastidores do programa, com o "aquecimento" de Gikovate e da plateia momentos antes da gravação.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Quando os políticos saem na chuva... Se queimam!

A política no Brasil está de pernas para o ar. Se não bastassem todos os escândalos de corrupção e a crise se agravando dia após dia, os recentes posicionamentos da situação e da oposição parecem seguir a direção da biruta de aeroporto.

Não apenas em Brasília, foco principal dos acontecimentos, mas também nos estados e municípios. Tá todo mundo louco!

Veja que amanhecemos nesta quarta-feira, 26 de agosto, com imagens e notícias absolutamente emblemáticas do caos político-partidário que vivemos.

O PSDB avisa que não vai liderar o processo de impeachment, e "adia" reunião com os demais representantes da oposição para tratar do assunto.

 O governador Geraldo Alckmin recebe a presidente Dilma Roussef no interior de São Paulo como um gentleman, só pensando em 2018. A cena do guarda-chuva é icônica da "proteção" que o tucano oferece à petista. Risível.

Na capital paulista, a votação do Plano Municipal de Educação completa o samba do político doido.

A polêmica em torno da discussão do gênero nas escolas é o pano de fundo de todo o preconceito e conservadorismo burro que domina os nossos políticos.

Ganha quem faz mais barulho. A bancada evangélica se uniu à claque católica que foi à Câmara "em defesa da família" contra a inclusão da orientação sexual, da promoção da igualdade e do combate à homofobia nas escolas de São Paulo, pelos próximos 10 anos. Resultado: discursos hipócritas e cenas de demagogia explícita, que deixaram o tema essencial (a própria Educação) em último plano.

Entenda aqui:
PPS vota contra Plano Municipal de Educação, carta "vazia" de diretrizes e metas


O mais inusitado foi a chamada "vitória de Pirro" do governo Haddad. Ou seja, o PT - que historicamente sempre defendeu a diversidade e os direitos humanos - cedeu à pressão conservadora da base de sustentação do prefeito Ruinddad e tirou a discussão de gênero do plano. Pior: sob os gritos de "Fora PT", endossou a tese vencedora, absolutamente equivocada.

Triste decadência, o PT venceu o PT. A gestão Haddad deu uma pedalada nas bandeiras mais justas e tradicionais da esquerda, como a igualdade e o humanismo, para festejar com a direita mais retrógrada o recrudescimento do ódio e da intolerância. Tudo, claro, em nome de Deus. (Meu Deus! Perdoe-os!)

Registrem-se apenas os quatro votos contrários à cruzada inquisitória, que mantiveram um mínimo de coerência e sensatez: Claudio Fonseca (PPS), Toninho Vespoli (PSOL) e Netinho de Paula (PDT), estes como únicos representantes destes três partidos na Câmara, e Juliana Cardoso (PT), líder de uma bancada sem liderança e sem destino, à espera da derrota nas urnas em 2016.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

"Estamos aqui para lutar pela família..." Oi?



Mais um dia de confronto na Câmara Municipal de São Paulo: de um lado, os movimentos católicos e evangélicos "em defesa da família". Do outro, os defensores da inclusão da questão do gênero no Plano Municipal da Educação. Entre os dois extremos, a maioria da população que nem sabe ao certo o que está sendo discutido.

Pior mesmo é o sujeito que se julga perfeito e, por isso, no direito de orar pela "salvação" dos outros... Meu Deus! Perdoe-os! Eles não sabem o que fazem!

Só para colocar mais lenha na fogueira:

O respeito à diversidade e o combate à homofobia

Vereador petista é tão bonzinho, né? :-)

À primeira vista, a proposta do vereador paulistano Paulo Reis (PT) vai beneficiar os partidos de oposição ao prefeito Fernando Haddad: ele propõe criar a Liderança da Minoria, ou seja, se for aprovado, o Projeto de Resolução nº 11/2015 dá algumas regalias regimentais aos vereadores oposicionistas.

Mas também deve gerar pelo menos quatro novos cargos e mais um gabinete de Liderança, semelhante ao que o Governo e cada partido com representação na Câmara Municipal de São Paulo já possuem.

Politicamente, apenas a bancada do PSDB e os vereadores Ricardo Young (PPS), Gilberto Natalini (PV) e Toninho Vespoli (PSOL) tem uma atuação independente da ampla maioria governista. Com essa leitura, uma Liderança da Minoria com mais dois vice-líderes, como propõe o vereador petista, atenderia diretamente estes parlamentares não alinhados ao prefeito.

Porém, contextualizando a proposta, vemos que não é bem assim. Até ser votado, o projeto que acaba de ser apresentado percorre um trâmite burocrático por comissões internas antes de chegar ao plenário. Estamos no penúltimo ano da atual legislatura. No ano de 2016 tem eleição. Na prática, se e quando for aprovada a tal Liderança da Minoria, estaremos às vésperas da posse do futuro prefeito (já que é improvável que Haddad seja reeleito, bem como é quase certo que a bancada petista será reduzida).

Então, ao invés de beneficiar a oposição, como aparenta, o vereador Reis está na verdade legislando em causa própria, preparando o terreno para o PT herdar mais uns carguinhos na estrutura da Câmara quando for defenestrado nas urnas.

Se não bastasse a Casa - presidida pelo vereador Antonio Donato (PT) - ter aprovado há um mês o polêmico projeto que cria um cabidão de 660 novos cargos para cabos eleitorais dos 55 vereadores, essa proposta do companheiro petista abre uma brecha para mais um gabinete com funcionários de livre provimento, a um custo anual aproximado de R$ 500 mil.

Traduzindo do "politiquês": ao criar a função de Líder da Minoria e mais dois vice-líderes, com as mesmas prerrogativas das Lideranças partidárias e de Governo, serão criados novos cargos de livre nomeação (provavelmente um chefe de gabinete e três assessores). Um acréscimo de cerca de R$ 40 mil mensais só com folha de pagamento (salários e gratificações), fora os demais benefícios.

Isso é uma vergonha! Um absurdo! Um deboche!

O autor desta proposta é também o pai de outra iniciativa bastante peculiar: foi dele a ideia genial de conceder um título de cidadão paulistano ao presidente da Fifa, o suiço Joseph Blatter, envolvido num escândalo mundial de corrupção.

O vereador Reis, ou Paulo Batista dos Reis, foi policial militar de 1988 a 1992 e, desde então, é policial civil. Até assumir a titularidade na Câmara, assessorava o deputado e presidente nacional do PT, Rui Falcão.

Leia mais:

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

#ProgramaDiferente: Que país é este?



O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, segue avaliando a crise política do governo federal e as possíveis consequências na vida de todos os cidadãos. A situação do Brasil é muito grave. Começa a ser criada uma conjunção de fatores políticos e sociais que podem abreviar o governo da presidente Dilma Roussef. O brasileiro não tolera mais esta sucessão de escândalos e a tomada de assalto do poder por bandidos.

Nesta semana, acompanhamos as manifestações de 16 de agosto, quando a população foi mais uma vez às ruas contra a corrupção, apoiando as investigações da Lava Jato e pedindo o #ForaDilma e o #ForaPT.

Por outro lado, vimos uma fracassada tentativa de reação no dia 20 de agosto, com ações orquestradas de partidos e movimentos cooptados, que já não representam quase nada além do próprio interesse de se perpetuar no poder.

Além disso, as próprias entidades e organizações que compõem a base de sustentação de Dilma criticam duramente a presidente e a política econômica adotada neste segundo mandato. Foram às ruas exigindo a saída do ministro Joaquim Levy e o abrandamento do ajuste fiscal.

Veja a reportagem especial: Meia hora com o #ProgramaDiferente no ato de 20 de agosto


A entrevista com Ricardo Young, vereador do PPS paulistano, aponta para uma nova forma de fazer política, com mais ética, seriedade, transparência, inteligência e compromisso público, que destoa completamente dos métodos institucionalizados pelo PT. Veja a íntegra da entrevista.

Na parte final do programa, apresentamos um debate que foi organizado no Sindicato dos Engenheiros, em São Paulo, exatamente para traçar um diagnóstico do quadro atual e começar a discutir possíveis saídas para o "pós-PT", com a participação do Secretário da Agricultura, Arnaldo Jardim; do jornalista e colunista do Correio Braziliense, Luiz Carlos Azedo; e do diretor-geral da Fundação Astrojildo Pereira (FAP), Juarez Amorim. Assista.

sábado, 22 de agosto de 2015

Reportagem especial: Meia hora com o #ProgramaDiferente no ato de 20 de agosto



O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, acompanhou a manifestação do dia 20 de agosto sob diferentes pontos de vista. Como todos sabem, essa passeata do Largo da Batata à Avenida Paulista foi convocada pelo PT, por movimentos sociais e organizações de esquerda como contraponto à manifestação do domingo, 16 de agosto, que pediu mais uma vez o #ForaDilma e o #ForaPT.

Veja na íntegra: Meia hora com o #ProgramaDiferente no ato de 20 de agosto


O militante de esquerda que pede o impeachment de Dilma



Porém, ocorre que no dia 20 de agosto também apareceu de tudo. Em tese, os manifestantes estavam ali para defender a presidente Dilma Roussef dos ataques da oposição. Porém, na prática, as críticas à política econômica do governo e ao ajuste fiscal aplicado pelo ministro Joaquim Levy foram tão intensas e contundentes que teve militante de esquerda defendendo até mesmo o impeachment da presidente.

Parte 1: Teve até defesa do Impeachment da Dilma no dia 20 de agosto


Coxinhas da direita x Tortas de frango da esquerda



Curioso que, sob o olhar de alguém de fora, não vinculado nem aos protestos de domingo, nem aos de quinta-feira, contra e a favor do governo, respectivamente, as críticas de um lado e do outro se confundem.

Atos despolitizados, com gente que só vai para comer, beber, fazer selfies e se divertir. Esse é o ataque genérico que normalmente os petistas fazem às manifestações da oposição. Mas que também caberiam, ironicamente, a este ato do dia 20 de agosto.

Não faltou comida (inclusive muita coxinha e torta de frango, churrasquinho e pipoca), além de bebidas alcoólicas, músicas, festa e gente fantasiada.

Parte 2: Coxinhas da direita x Tortas de frango da esquerda


A crítica dos movimentos sociais à política econômica



Acompanhamos o movimento na visão dos movimentos sociais. Ouvimos a estudante Carina Vitral, presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes); Adi dos Santos Lima, presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores) do Estado de São Paulo; e Guilherme Boulos, coordenador nacional do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto).

Parte 3: Dia 20 de agosto sob o olhar dos movimento sociais


A opinião de políticos do PT e jornalistas progressistas



Por outro lado, buscamos conhecer a opinião sobre o ato de dois políticos tradicionais do PT, dirigentes partidários e com sucessivos mandatos parlamentares: Ítalo Cardoso e José Mentor.

Ouvimos também os jornalistas Bob Fernandes e Leonardo Sakamoto, ambos identificados com as ideias progressistas e de esquerda no Brasil e no mundo.

Parte 4: A manifestação de 20 de agosto na visão de petistas e jornalistas


O #ProgramaDiferente é exibido na TVAberta de São Paulo todos os domingos, às 21h30.

Na internet, está disponível na TVFAP.net e em programadiferente.com na íntegra.

Leia também:

Paulista lotada para mais um #ForaDilma e #ForaPT

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

O respeito à diversidade e o combate à homofobia



O "Respeito à Diversidade e o Combate à Homofobia": este é o tema do debate do #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, com a presença de Laerte Coutinho, cartunista que se assumiu transgênero; Majú Giorgi, criadora do grupo Mães pela Diversidade, para lutar pelos direitos dos filhos gays; e Eliseu Neto, psicólogo e coordenador do PPS Diversidade.

Na abertura do debate, conheça o trabalho do fotógrafo André Giorgi: "50 vozes contra a Homofobia", campanha que reuniu personalidades como a atriz Deborah Secco, o médico Drauzio Varella e a apresentadora Marilia Gabriela para completar a frase "Homofobia é...". Assista.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Breno Altman: onde Dilma, Lula e o PT erraram?



Neste 20 de agosto, dia em que o PT e algumas entidades anunciam mobilizações e passeatas como contraponto às manifestações populares e da oposição ao governo Dilma no domingo, 16 de agosto, o #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, ouve uma das vozes que representam este movimento de resistência do petismo.

O jornalista Breno Altman, diretor editorial do site Opera Mundi, militante do PT, amigo pessoal de Lula e José Dirceu, vinculado a organizações políticas de esquerda no Brasil e no mundo, fala sobre a situação do país e a crise do governo petista nesta entrevista exclusiva. Assista.

Chamado nas redes sociais com as hashtags #NãoVaiTerGolpe e #EmDefesaDaDemocracia, o movimento desta quinta-feira tem à frente, além do PT, também a CUT, a UNE e o MTST. Os discursos são contra "a onda golpista que assola a política brasileira". Vamos acompanhar.

Porém, mesmo dentro deste movimento há divergências. Ainda que todos eles defendam a permanência da presidente Dilma Roussef no governo, a maioria ataca a política econômica e o ministro Joaquim Levy.

Na entrevista, Breno Altman chega a comparar a situação de Dilma à do ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev. Durante seu governo, as tentativas de reforma, tanto no campo político, representadas pela Glasnost (abertura política), como no campo econômico, através da Perestroika (abertura econômica), deram fim ao poder do Partido Comunista, levando à dissolução da União Soviética.

"Sem uma mudança na política econômica, a presidente não se reconcilia com a base social petista, e sem se reconciliar com a base social petista ela corre o risco de viver uma situação parecida com o Gorbachev", afirma Breno Altman.

"Qual era a situação do Gorbachev? Ele já não interessava mais a nenhuma classe social. Os setores que defendiam a manutenção do socialismo, viam no Gorbachev um homem que desmontava o socialismo. E os setores desejosos de restaurar o capitalismo, viam o governo Gorbachev como tímido, medroso para as medidas restauradoras que eles desejavam. Era um governo na zona fantasma, e é um governo que vai se desidratando. Sua queda foi um peteleco."

"Não estou dizendo que isso vai acontecer com o governo Dilma, estou dizendo que, quando um governo progressista rompe com a sua base social, aprova uma política econômica que se confronta com a sua base social, esse é o risco que corre."

Assista a íntegra da entrevista com Breno Altman. É bastante reveladora da mentalidade do petismo em crise e dos movimentos partidários que vem sendo executados. Nesse sentido, recomendamos também as entrevistas com Leonardo Attuch (Brasil 247) e com o ex-deputado petista Adriano Diogo, o debate "O PT matou o petismo?" e a cobertura do 1º Ato do PT e do PCdoB "em defesa da democracia e contra o golpismo".

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

A cidade desgovernada do incomPTente Haddad

Saldo do Dia do Ciclista na cidade que diminui a velocidade dos carros mas espalha ciclofaixas e ciclovias sem critério e sem planejamento: duas mortes!

Um idoso atropelado por um ciclista debaixo do Minhocão, numa ciclovia que impede a visibilidade por causa das pilastras.

Um menino de 9 anos atropelado por um carro na periferia, numa daquelas ciclovias inaceitáveis, absurdas e irresponsáveis, pintadas NO MEIO de uma avenida!

Esta é a cidade do prefeito Haddad, um incompetente, boçal e agora com mais duas mortes nas costas! Um desserviço às ciclovias e uma ameaça à população!

Leia também:

Dia do Ciclista: Pedala, Renata, Pedala!

Dia do Ciclista: Pedala, Renata, Pedala!



Neste 19 de agosto, Dia do Ciclista, o #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, exibe uma entrevista exclusiva com Renata Falzoni, jornalista, fotógrafa, repórter, ciclista e pioneira no cicloativismo. Ela fala sobre a vida e a profissão, além de conversar sobre mobilidade urbana e sustentabilidade, e debater as polêmicas ciclovias e ciclofaixas implantadas em São Paulo. Assista.

É impossível não associar Renata Falzoni com a protagonista do filme "Corra, Lola, Corra". Não apenas pelo indefectível cabelo laranja, mas pela hiperatividade e agilidade desta nossa personagem da vida real, que passa a vida correndo atrás daquilo que deseja e acredita.

Às vésperas de completar surpreendentes 62 anos, Renata Falzoni literalmente não para!

Formada em Arquitetura e Urbanismo pelo Mackenzie em 1977, foi nas ruas que ela descobriu as suas paixões por fotografia, reportagem, bicicletas e aventuras.

Criou o Night Biker´s Club do Brasil em 1989 e introduziu na pauta do jornalismo nacional o tema das bicicletas não só como modalidade esportiva e de lazer, mas também como modal de transporte moderno, limpo, sustentável e alternativo para as grandes cidades.

Atualmente desempenha suas múltiplas funções na TV Gazeta, no portal Bike é Legal e no Instituto Pedala Brasil, mas como repórter já passou pela Rádio Eldorado e ESPN, e como fotógrafa por diversas publicações, há 36 anos.

Fica aqui a nossa homenagem a todos os ciclistas, através desta que é, sem dúvida, a mais emblemática e empenhada defensora da causa.

Pedala, Renata, pedala!


Veja também:

A cidade desgovernada do incomPTente Haddad


Paulistano quer ciclovia, mas não é palhaço!

Prefeito Haddad, vamos falar sério sobre as ciclovias?

Soninha diz que Haddad não faz ciclovias nem ciclofaixas, mas "ciclofarsas"

O que Haddad ganha ao trocar motofaixas por ciclovias?

terça-feira, 18 de agosto de 2015

O sucesso do "Luleco": e agora, o que fazer?

Sucesso absoluto das manifestações de domingo, o personagem Luleco anda meio aéreo. É até compreensível. Muita pressão. Mas, como nunca antes na história deste país, todo mundo torce para ele ter dias tranquilos num retiro entre amigos. Uniformizado, já está. Só falta o pitstop num lava jato... :-)

As redes não perdoam: só dá Luleco! Pensamos em seguir a tendência e fazer algumas sugestões de passatempo para o Luleco e sua turma, com brincadeiras infantis e jogos tradicionais. Se bem que, convenhamos, nada disso daria muito certo, por motivos óbvios.

Passa-anel: O anel sumiria na primeira rodada.

Cabo de guerra: O pessoal não iria querer se dividir. Ficaria todo mundo do mesmo lado da corda. Diriam que não tinha nenhum "coxinha" para puxar no sentido oposto.

Pião: Soa até familiar, mas não tem mais nenhum.

Jogo da memória: Não dá. Ninguém lembra de nada.

Elefantinho colorido: Não avançaria. Todos os amiguinhos do Luleco se vestem de vermelho.

Pega-bandeira: o mesmo motivo, todos defenderiam a mesma bandeira da estrelinha.

Dança das cadeiras: Daria confusão. Teria mais cadeira do que amigo. Não entenderiam direito o espirito do jogo. Começariam a colocar cadeira da Pesca, dos Portos, da Aviação Civil, de Assuntos Estratégicos. No fim, cada um sentaria numa cadeira e não levantaria por nada!

Cabra-cega: Todos até aceitariam tapar os olhos, mas ninguém iria pegar o outro companheiro. Poderiam tentar uma delação premiada, mas daria bode.

Trava-línguas: O Luleco não iria querer brincar e sua turma nas redes sociais diria que é bullying só porque ele tem a língua presa.

Serra, Serra, Serrador: Por algum motivo, não gostariam do nome. Ficariam de bico.

Batata-quente: Quando gritassem "queimou", eles continuariam a passar a batata para o lado. Não teria fim.

Sudoku: Muito elaborado o raciocínio do jogo, parece que o Luleco não compreenderia.

Caça ao Tesouro: Bom, essa brincadeira todos já brincavam fora da cela. Perdeu a graça.

Mãe da Rua: Diriam que é brincadeira de menina. A não ser que alguma chegasse entre eles... ;-)

Detetive: Não! Brincadeira golpista não dá!

Rouba monte: Hmmmm, deixa pra lá!

Polícia e Ladrão: Que é isso, rapaz?! Pô, assim não dá! Estragou de vez a brincadeira! Não sabe brincar, não desce pro play!

Leia também:

Existe humor politicamente correto?

Governo Dilma: Festa estranha, com gente esquisita

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Paulista lotada para mais um #ForaDilma e #ForaPT



O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, acompanhou mais um domingo de protestos contra o governo petista e contra a corrupção no país. Assista.

Na Avenida Paulista, o público parece ter se igualado às manifestações de 15 de março e foi muito superior ao dia 12 de abril. Porém, dessa vez o #ForaDilma e #ForaPT foram ainda mais veementes.

A população que foi às ruas deseja o impeachment ou a renúncia da presidente Dilma Roussef e não tolera mais a corrupção institucionalizada na política. A revolta com o PT é maior devido à frustração com o partido que foi constituído tendo a ética e a moralidade pública como princípios básicos.

Se um dia "a esperança venceu o medo", como afirmava o marketing eleitoral petista, agora parece que os corruPTos derrotaram os idealistas e bem intencionados que um dia militaram no Partido dos Trabalhadores.

Foram ouvidos nesta matéria Marco Antonio Villa, historiador e comentarista da TV Cultura e da Rádio Jovem Pan; Roberto Delmanto Júnior, advogado criminalista; Gilberto Natalini, vereador do PV; Rogerio Chequer, coordenador do Vem Pra Rua; Alexandre Frota, ator; e Chiquinho Scarpa, empresário e socialite paulistano.

Veja também:

#ProgramaDiferente no ar em mais um dia de manifestações do #ForaDilma e #ForaPT

Governo Dilma: Festa estranha, com gente esquisita

PT consegue a proeza de ressuscitar a direita

domingo, 16 de agosto de 2015

#ProgramaDiferente no ar em mais um dia de manifestações do #ForaDilma e #ForaPT



O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, vai ao ar em mais um fim-de-semana de manifestações do #ForaDilma e #ForaPT em todo o Brasil. O tema central, como não poderia deixar de ser, são os protestos contra a corrupção e o apoio popular às investigações da Operação Lava Jato. Assista.

A pressão pela renúncia ou pelo impeachment da presidente aumenta, na mesma proporção que despenca a credibilidade do governo do PT. Não dá para fechar os olhos para o desejo da maioria da população, que se manifesta com veemência, mas dentro das regras democráticas, contra o crime institucionalizado pelos governos petistas. 

A crise política do país está instalada e pode abreviar o governo da presidente Dilma Rousseff, em meio a sucessivas revelações e novas prisões nos vários esquemas desta corrupção generalizada. O programa desta semana ajuda a traçar um quadro da crise com um olhar diferenciado sobre os fatos.

Este é o foco da entrevista com o jornalista e chargista Claudio de Oliveira, que usa o humor para retratar o atual cenário político. Ele começou em Natal e chegou ao Pasquim, o maior jornal de humor e de oposição ao regime militar, descoberto por Henfil com apenas 13 anos de idade. Está há mais de 20 anos na Folha de S. PauloVeja a íntegra da entrevista.

A matéria do dia é com lideranças do PT e do PCdoB que, alheias à percepção da maioria da população, seguem afirmando que as manifestações contra Dilma são "golpistas". O programa entrevista o presidente nacional do PT, deputado Rui Falcão; o presidente paulistano, vereador Paulo Fiorilo; os secretários da Prefeitura de São Paulo, Alexandre Padilha e Simão Pedro; e o presidente do PCdoB paulistano, Jamil MuradAssista.

O debate final é com os jovens representantes do Movimento Brasil Livre, que vem se destacando na organização das manifestações, nas redes e nas ruas. Participam do programa, dizendo o que pensam e relatando os objetivos do Movimento, os estudantes Fernando Holiday, Caíque Mafra e Renato BattistaVeja na íntegra.

O #ProgramaDiferente é exibido na TVAberta de São Paulo todos os domingos, às 21h30.

Na internet, está disponível na TVFAP.net e em programadiferente.com na íntegra.

sábado, 15 de agosto de 2015

Vote PT! Vote PT! Agora, nem com hipnose, hein? Veja a entrevista exclusiva com o hipnólogo Fabio Puentes


Hipnose é técnica ou truque? Ciência ou show? O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, entrevista Fabio Puentes, o hipnólogo mais conhecido da América Latina. Uruguaio com formação na Espanha, presença frequente em programas de TV e palestrante concorrido, ele atende pacientes no Hospital das Clínicas de São Paulo.


Para que serve a hipnose? É um recurso que funciona apenas com pessoas sugestionáveis? Quais as aplicações clínicas, terapêuticas, forenses, esportivas?


É verdade que a hipnose ajuda a emagrecer? E a deixar de fumar? A hipnose pode melhorar o desempenho de atletas? E a eficiência de um vendedor?


Ela pode influenciar um grande número de pessoas, por meio de mensagens religiosas ou da propaganda política, por exemplo? O nazismo usava técnicas de hipnose? E os pastores evangélicos na mídia? E os marqueteiros do PT?


Acompanhe a íntegra da entrevista com Fabio Puentes e veja no final algumas demonstrações incríveis, com a equipe de produção do #ProgramaDiferente. Parece coisa combinada, mas não é. Veja com os seus próprios olhos e ouça o depoimento de quem se submeteu à hipnose.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Governo Dilma: Festa estranha, com gente esquisita



"Qualquer tentativa de atentado à democracia, à senhora, ou ao presidente Lula, nós seremos o exército que vai enfrentar essa burguesia na rua!".

"Isto implica agora, neste momento, ir para as ruas entrincheirados, com arma na mão, se tentarem derrubar a presidente Dilma Roussef".

“Fora já, fora já daqui, o Eduardo Cunha junto com Levy''.


“Ô, Levy, fala pra tu, volta pro Bradesco e pro Banco Itaú''.

"Quem não pode com a formiga, não atiça o formigueiro".



Os gritos de guerra e palavras de ordem no ato midiático pró-Dilma, organizado pelo governo com respaldo de entidades aparelhadas e movimentos sociais cooPTados, são a síntese perfeita do mau-caratismo dessa esquerdalha amestrada e viciada nos encantos do poder.

Os vídeos que mostram as falas do presidente da CUT, Vagner Freitas, e do líder do MTST, Guilherme Boulos, além da claque patrocinada pelo governo, são antológicos.

Discursam em defesa da democracia e contra o suposto "golpismo" da oposição, o ódio, o preconceito e a intolerância, mas são eles próprios que destilam ira e rancor, além de mostrar total desapego às regras constitucionais, democráticas e republicanas.

Se assistimos a derrocada de um governo corruPTo, sem comando e sem credibilidade, prejudicial ao país e que pode ser apeado do poder dentro da ordem institucional, não é golpe defender o impeachment ou a renúncia da presidente da República.

Golpe é quando canalhas vêm a público pregar uma insana e inconsequente luta armada para proteger bandidos. Golpe é quando cafajestes agem nos bastidores para desqualificar juízes, procuradores e promotores que agem no rigor da lei para punir assaltantes dos cofres públicos. Golpe é quando a quadrilha que sequestrou o Executivo e o Legislativo se reúne para manter regalias e privilégios, enquanto rasgam a Constituição.

Os anúncios de página inteira publicados nos grandes jornais desta sexta-feira, somados aos encontros que vem ocorrendo na calada da noite para acertos e orquestrações em nome da tal "governabilidade", nada mais são que ações cúmplices do modus operandi do crime instalado em Brasília.

Tentam desmobilizar e minimizar os protestos populares deste domingo, 16 de agosto. Mas, escutem e compreendam: Não vão nos calar. Não vão nos intimidar. Não vão nos impedir de ir às ruas para reivindicar aquilo que as leis brasileiras nos garantem. Queremos um país livre dessa corja de bandidos.

#ForaDilma #ForaPT #ForacorruPTos

Leia também:

Tá chegando a hora! Vamos todos pra rua neste domingo, dia 16! #ForaDilma #ForaPT #ForacorruPTos

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Tá chegando a hora! Vamos todos pra rua neste domingo, dia 16! #ForaDilma #ForaPT #ForacorruPTos



O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, recebeu jovens representantes do Movimento Brasil Livre (MBL), que vem se destacando nas manifestações pelo impeachment da presidente Dilma Roussef, para debater o que é este movimento nas redes e nas ruas, o que pensam os seus integrantes e se há outros objetivos, planos e ideais além do #ForaDilma e do #ForaPT.

O #MBL, com apoio dos partidos de oposição e de outros movimentos organizados ou espontâneos de cidadãos indignados com os desmandos e os escândalos do atual governo federal, também faz uma convocação para o próximo grande ato público de protestos no país inteiro, marcado para o domingo, 16 de agosto.

Assista a íntegra do bate-papo com os jovens estudantes Fernando Holiday, Caíque Mafra e Renato Battista.

Leia também:

Governo Dilma: Festa estranha, com gente esquisita

PT consegue a proeza de ressuscitar a direita

Lula e Dilma estão envolvidos até o pescoço nos escândalos de corrupção!


PPS convoca para as manifestações

A direção nacional do PPS e a bancada do partido no Congresso Nacional também estão convocando todos os militantes da legenda para participarem, no próximo domingo, dia 16 de agosto, dos protestos que estão programados em todo o país contra o desgoverno da presidente Dilma Rousseff (PT).

Para o partido e os parlamentares, a mobilização nacional pelo Brasil e pela democracia deve unir todas as forças políticas e da sociedade que não suportam mais um governo incompetente para gerir a crise econômica, incapaz sequer de construir uma base sólida no Congresso e tomado pela corrupção.

“A mobilização nacional pelo Brasil e pela democracia deve unir todas as forças políticas e da sociedade que não suportam mais um governo incompetente para gerir a crise econômica, incapaz sequer de construir uma base sólida no Congresso e tomado pela corrupção”, destaca a nota divulgada pelo partido. Confira abaixo a íntegra da noa:

16 de agosto: É hora de coragem e união para mudar o Brasil

Coragem e união. Esses são os sentimentos que todos aqueles que têm compromisso com a democracia e responsabilidade com o Brasil devem levar para as ruas no próximo domingo, dia 16 de agosto, quando mais uma vez a sociedade brasileira vai se manifestar contra o desgoverno da presidente Dilma Rousseff (PT).

A mobilização nacional pelo Brasil e pela democracia deve unir todas as forças políticas e da sociedade que não suportam mais um governo incompetente para gerir a crise econômica, incapaz sequer de construir uma base sólida no Congresso e tomado pela corrupção.

A ingovernabilidade está instalada, o arrocho e o desemprego ameaçam os trabalhadores, a inflação chegou à mesa dos brasileiros, a crise econômica atinge a capacidade de investimento do setor produtivo do país e a corrupção se entranhou em todos os espaços da máquina pública federal.

Diante desse cenário da maior gravidade, que afugenta investidores e mancha a imagem do Brasil, a presidente Dilma e o PT não dão o menor sinal de que são capazes de retirar o país da crise. Ao contrário, a cada dia a aprofundam.

Chegou a hora de encontrarmos uma saída democrática e constitucional para a crise.

No dia 16, com coragem e união, vamos todos às ruas para mostrar quem são os brasileiros que realmente têm compromisso para mudar o Brasil!

Brasília, 11 de agosto de 2015.

Deputado Roberto Freire (PPS-SP)
Presidente Nacional do PPS

Deputado Rubens Bueno (PPS-PR)
Líder do PPS na Câmara

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Dois dias muito didáticos na Câmara de São Paulo

Sabíamos que haveria polêmica na volta do recesso da Câmara Municipal de São Paulo.

Dizíamos isso no artigo "De olho nos vereadores", publicado na sexta-feira.

Mas as cenas que ocorreram nesta segunda, dia 10, num necessário debate entre taxistas e defensores do aplicativo Uber, falam por si.

São extremamente didáticas do funcionamento do parlamento paulistano e do comportamento de parte dos 55 vereadores.

Veja a repercussão do debate organizado pelo vereador Ricardo Young (PPS):

Debate sobre o Uber termina em bate-boca na Câmara de São Paulo

Defensor do Uber de 17 anos discute com vereador na Câmara

Nesta terça-feira, não perca por esperar, vão acontecer novos momentos de telecatch verbal (esperamos que não partam para as "vias de fato") e mais humor involuntário durante a apreciação, em primeira votação, do Plano Municipal de Educação, sobretudo no capítulo sobre discussão de gênero.

Há um embate entre membros de movimentos feministas e LGBT contra religiosos e grupos conservadores, que não admitem que o texto a ser votado faça menção direta a sexualidade, diversidade e relações de gênero, ainda que o objetivo principal seja superar preconceitos, discriminação, violência sexista, homofóbica e transfóbica no ambiente escolar.

O principal argumento contrário é que se trata de "ideologia de gênero", ou seja, uma suposta tentativa de impor ideologias e doutrinas a alunos sem o consentimento dos pais, ameaçando a família.

Por outro lado, educadores rebatem: "O termo ideologia de gênero, é, em poucas palavras, conceber que crianças nascem sem sexo, que gêneros sexuais são construções sociais e culturais, e não biológicas. Dessa forma, os alunos não seriam tratados como meninos e meninas, mas como indivíduos assexuados, neutros, para que eles próprios escolhessem seu gênero no futuro, havendo, assim, um incentivo para que fossem homossexuais, travestis, transexuais e transgêneros."

A discussão - com cenas dignas de comédia pastelão - prossegue na Câmara. Entendemos que deve haver um equilíbrio e bom senso no debate, em vez da polarização típica das torcidas de futebol.

O #ProgramaDiferente realizou um debate sobre o "Respeito à Diversidade e o Combate à Homofobia", com a presença de Laerte Coutinho, cartunista que se assumiu transgênero há quatro anos; do psicólogo Eliseu Neto, coordenador do PPS Diversidade; e de Majú Giorgi, criadora do grupo Mães pela Diversidade, que luta pelos direitos dos filhos gay. Em breve estará disponível na TVFAP.net e no Blog do PPS. Aguarde.

Enquanto isso, veja também:

Existe humor politicamente correto?


Num momento em que os comediantes profissionais enfrentam a concorrência desleal dos políticos, que exercem ilegalmente a atividade, vale a pergunta: Existe humor politicamente correto? (tá, mas e daí, pra que serve? rs)

Ouvimos o humorista, ator e compositor Paulo Vieira, vencedor do quadro "Quem Chega Lá?", do programa Domingão do Faustão, e o mágico e comediante Ben Ludmer, que ensina um truque inédito em homenagem ao pastor Malafaia e ao deputado Bolsonaro.

Também vale a pena ver de novo a saudação à mandioca e a meta deixada em aberto pela presidente Dilma Roussef, que vai ser dobrada quando for atingida... Assista.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Um #ProgramaDiferente histórico sobre jornalismo e democracia com José Hamilton Ribeiro e os 40 anos do assassinato de Vladimir Herzog pela ditadura



O #ProgramaDiferente deste domingo, Dia dos Pais, com personagens que fazem parte da História do Brasil, é bastante emblemático para o jornalismo e sobre a redemocratização do país: entrevista o "repórter do século" José Hamilton Ribeiro e debate os 40 anos do assassinato de Vladimir Herzog pela ditadura militar.

A abertura na voz de Elis Regina, com a música de João Bosco e Aldir Blanc que simboliza a luta de toda uma geração e homenageia especialmente uma das nossas convidadas, Clarice Herzog, dá o tom do programa: "Chora, a nossa pátria mãe gentil, choram Marias e Clarices, no solo do Brasil. Eu sei que uma dor assim pungente não há de ser inutilmente...". ASSISTA.

Com 80 anos de idade e 60 de profissão, José Hamilton Ribeiro é mais conhecido hoje por ser repórter e editor do programa Globo Rural, mas tem uma história extraordinária no jornalismo brasileiro e mundial.

Ele conta um pouco dessa trajetória, desde a sua participação na cobertura da Guerra do Vietnã, pela revista Realidade (que antecedeu a Veja), ocasião em que perdeu a perna ao pisar em uma mina terrestre. Assista a íntegra da entrevista.

Há ainda o debate histórico sobre os 40 anos do assassinato do jornalista Vladimir Herzog, com a presença da viúva Clarice Herzog, do filho Ivo Herzog e do amigo Audálio Dantas, outra lenda do jornalismo, que era o presidente do sindicato da categoria em 1975 e participou ativamente daquele momento fundamental do país. Assista a íntegra do debate.

Parece oportuno rememorar a morte de Herzog e o seu significado no momento em que vivemos o agravamento da crise política e institucional, com proporções e consequências ainda imensuráveis.

O #ProgramaDiferente é exibido na TVAberta de São Paulo todos os domingos, às 21h30.

Na internet, está disponível na TVFAP.net e em programadiferente.com na íntegra. Assista.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

E essa fixação da gestão Haddad por cemitérios?

É trilha ambiental, é oficina de teatro, é cinema, é coral, é wi-fi, é feira de troca de gibis, é cão de guarda... Será que Freud explica por que os zumbis do PT e da gestão do prefeito Fernando Haddad tem essa estranha fixação por cemitérios? Meus Deus! Que fúnebre!

Com esse papo furado de "ocupar o espaço público" (que, na verdade, é disfarce para a incompetência, a irresponsabilidade e a inoperância administrativa), Haddad e os PTrapalhões perderam o senso do ridículo!

Havia um tempo em que o marketing chamava isso de "factóide" político. Hoje é puro desespero de quem não tem o que mostrar nestes quase três anos na Prefeitura. Aí, vale tudo! Ciclofarsas, velocidades surreais nas marginais e agora até essa invasão dos cemitérios!

O sinistro secretário Simão Pedro é o maior porta-voz das intervenções do além-túmulo. A última novidade são os cemitérios verticais. Sugerimos que o projeto-piloto seja o Palácio Matarazzo, no Vale do Anhangabaú: a própria sede da Prefeitura de São Paulo. Lugar mais adequado, impossível! É um verdadeiro cemitério da boa política.

Não satisfeito em aterrorizar os vivos, Haddad resolveu incomodar os mortos.

Aqui jaz a cidade de São Paulo (até a ressurreição esperada para o dia 2 de outubro de 2016, data das próximas eleições municipais, quando essa gestão "ruinddad" será sepultada definitivamente nas urnas!).

R.I.P. PT! Amém!

Leia também:

Haddad e a gestão do prefeito Frankenstein

Câmara Municipal volta ao trabalho com pauta polêmica

PT consegue a proeza de ressuscitar a direita

Depois Haddad ainda vem com ladainha rico x pobre

Haddad, o rei da maquiagem, esconde incomPTência

Haddad e Jilmar Tatto "inventam" velocidades

Ônibus: sorte nossa que Haddad é "passageiro"


Cadê o Haddad? Cadê o Simão Pedro? Acende a luz!!!

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Hoje tem panelaço? Tem, sim senhor! #ForaPT



A situação degringolou de vez! O tal governo de coalizão virou um desgoverno da cizânia, marcado por desacordos, divergências, atritos, desarmonia, desconformidade, discórdia, discrepâncias. A presidente Dilma Roussef perdeu completamente a condição de comandar o país. O Partido dos Trabalhadores, pior: institucionalizou-se como o partido do crime.

Durante a propaganda partidária do PT, hoje à noite, o Brasil promoverá mais um panelaço. Talvez o maior da história. Como nunca antes... O Blog do PPS oferece a sua contribuição e faz o seu próprio panelaço virtual. Participe! #foraDilma #foracorruPTos #foraPT

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

A TVFAP.net entrevista o teólogo Leonardo Boff



O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, entrevista o teólogo, filósofo, escritor e professor universitário Leonardo Boff, maior expoente da Teologia da Libertação no Brasil, exatamente no dia em que completou 50 anos da sua partida para fazer doutorado em Teologia e Filosofia na Alemanha, na Universidade de Munique, onde passou cinco anos. Assista.

Embarcado no navio que o levaria à Alemanha pelo então professor e coordenador dos estudantes de Petrópolis, recebeu dele, na época, em 1965, um bilhete que guarda até hoje: "O Brasil precisa de pessoas inteligentes, que ajudem a pensar a nossa realidade, muito complexa. Vá em nome de Deus".

Quem foi o autor do bilhete? Paulo Evaristo Arns, frade franciscano que se tornaria cardeal-arcebispo de São Paulo em 1970, igualmente adepto dos direitos humanos, da justiça social e da teologia para os pobres na perspectiva da sua libertação.

Já a tese de doutorado, um calhamaço de 600 páginas, toda escrita em alemão, que lançava as bases da Teologia da Libertação, foi aceita e publicada por um teólogo daquele país. Seu nome? Joseph Ratzinger, que ao se tornar cardeal aplicaria as punições que acabaram por afastar o Frei Leonardo Boff da Igreja e, décadas mais tarde, seria eleito Papa e adotaria o nome de Bento XVI.

Nesta entrevista exclusiva, Leonardo Boff conta um pouco da sua trajetória como religioso e intelectual; fala dessa relação conturbada com o Papa Bento XVI, de quem era amigo e por quem acabou perseguido; mostra entusiasmo com o Papa Francisco, que "tem a ternura de São Francisco e o rigor de um jesuíta", além de introduzir "uma ruptura com a velha cristandade européia e abrir o horizonte como nenhum outro papa abriu".

Ele também fala do papel da Igreja num Estado Laico, de política, democracia, ideologia, esquerda x direita, economia global, extremismo religioso, fundamentalismo, violência e da onda conservadora que desponta no mundo. Faz ainda uma defesa apaixonada do meio ambiente.

Critica o PT, que "se deixou contaminar pelo poder e perdeu a sua vinculação orgânica com a base", mas também "as forças poderosas, as grandes corporações multinacionais que pressionam os governos e não querem as políticas sociais".

Genézio Darci Boff, ou simplesmente Leonardo Boff, diz que, aos 76 anos, continua o mesmo que ingressou na ordem franciscana aos 21 anos. Além de assistir esta entrevista exclusiva, você pode acompanhar abaixo a íntegra da palestra ministrada no Sesc Pinheiros, encerrando a "Campanha de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa", com o tema “Em 2050 seremos muitos: o cuidado começa agora” e a conferência "Cuidado: maneira amorosa de se relacionar com os outros".

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Câmara Municipal volta ao trabalho com pauta polêmica e sob o olhar atento do eleitor paulistano


A Câmara Municipal de São Paulo volta ao ritmo normal de trabalho nesta quarta-feira, 4 de agosto, após o recesso de julho, com uma pauta bombástica de projetos para este segundo semestre. A começar pela polêmica dos taxistas contra o aplicativo Uber, passando pela discussão da Lei de Zoneamento (assista no vídeo acima a crítica da senadora e ex-prefeita Marta Suplicy ao prefeito Fernando Haddad) e de operações urbanas que, na prática, vão descaracterizar ainda mais a cidade.

Leia: Enganador do presente, exterminador do futuro

Os vereadores, a quase um ano da eleição de 2 de outubro de 2016, estão sob a mira do eleitor paulistano, que aumenta o tom crítico e as cobranças. Uma medida controversa - que motiva protestos nas redes e hoje também na frente da Câmara, por exemplo - foi a criação de 660 novos cargos para assessores dos 55 gabinetes.

A base do prefeito Haddad será bastante testada nos próximos meses. Quanto mais se aproxima a eleição, pior para os vereadores que vão tentar se reeleger atrelados ao governo petista, que despenca nos índices de aprovação e parece distante de qualquer possibilidade de recuperação.

Não há nenhuma área da administração que tenha desempenho satisfatório. É cada vez menor o percentual de paulistanos que enxergam algo positivo na atuação de Haddad, que descumpre seu plano de metas e tem aquele "toque de Midas" ao contrário: onde ele põe a mão, o serviço deteriora.

As notícias negativas se sucedem: uma das últimas e mais assombrosas foi a do shopping de luxo que está para ser aprovado pela gestão Haddad em uma "ilha" da Marginal Pinheiros, afetando ainda mais o trânsito e as raríssimas áreas verdes e permeáveis da região. Um horror!

Ninguém aguenta mais tanta "ruinddad" em São Paulo! Falta escola, creche, remédio, hospital. Falta inteligência, competência, democracia, transparência, responsabilidade! Faltam parques e áreas verdes! Sobram faixas vermelhas desbotadas no asfalto (que fingem atender a necessidade de ciclovias e ciclofaixas, mas jamais com estas "ciclofarsas" do Haddad).

Alô, vereadores! Vocês vão ser cúmplices dessa gestão desastrosa até quando?

Leia também:

PT consegue a proeza de ressuscitar a direita

Depois Haddad ainda vem com ladainha rico x pobre

Haddad, o rei da maquiagem, esconde incomPTência

Haddad e Jilmar Tatto "inventam" velocidades

Ônibus: sorte nossa que Haddad é "passageiro"

Haddad e a gestão do prefeito Frankenstein

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Prefeito de Vitória, do PPS, é premiado por Saúde e Educação em ranking de "cidades inteligentes"

Está acontecendo em São Paulo a primeira edição do evento "Connected Smart Cities – Cidades Inteligentes no Brasil", de 3 a 5 de agosto, considerado um ponto de encontro para empresas, entidades e governos que buscam soluções para tornar as cidades brasileiras cada vez mais inteligentes e conectadas.

É uma iniciativa da Urban Systems, empresa com 15 anos no mercado e que se dedica a estudos de lógica urbana, inteligência estratégica e análise de risco de investimentos, em parceria com a revista Exame, da Editora Abril, que publica estes estudos e rankings como o de "melhores cidades para negócios no Brasil", divulgado em abril deste ano, e o de "cidades mais inteligentes do Brasil", revelado nesta segunda-feira, na abertura do "Connected Smart Cities".

Vitória, a capital do Espírito Santo, administrada pelo prefeito Luciano Rezende (PPS), aparece no 1º lugar em Saúde e no 3° lugar em Educação no ranking das 50 cidades mais inteligentes ("Smart Cities"), dentre 700 municípios pesquisados em todo país.

O ranking contempla indicadores dos temas que estão sendo abordados no evento e que compõem as vertentes das cidades inteligentes: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, saúde, segurança, educação e empreendedorismo; e ainda os temas transversais: economia, gestão e qualidade de vida.

PPS e FAP vão debater #ACidadeQueEuQuero


#ACidadeQueEuQuero é mais humana, sustentável, segura, fraterna, inteligente. Tem mais parques e áreas verdes. Tem mais saúde, educação e cultura. Tem moradia mais perto do centro. Tem transporte público de qualidade. Incentiva a economia solidária. Tem uma gestão mais responsável, transparente, moderna e participativa. É mais democrática e acolhedora. Atende a vontade da maioria mas ouve também as minorias...

Enfim, todos nós temos uma ideia genérica ou mais elaborada da cidade que desejamos. Dirigentes do PPS e da FAP (Fundação Astrojildo Pereira) se reuniram neste fim-de-semana em São Paulo para iniciar a programação de uma conferência nacional e de seminários temáticos sobre governança democrática e participativa.

Antecipando as eleições municipais de 2016, precisamos fazer um diagnóstico das nossas cidades e projetar o modelo ideal daquilo que pretendemos. Questões urbanas, administrativas, econômicas, sociais, ambientais e políticas serão amplamente debatidas por especialistas, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, pré-candidatos e pela população em geral.

Participaram dos três dias de reunião em São Paulo: Alberto Aggio (SP), Caetano Araujo (DF), Carlos Fernandes (SP), Carmen Zanotto (SC), Cleia Schiavo (RJ), Davi Zaia (SP), Debora Albuquerque (PE), Fabricio Gandini (ES), Fausto Matto Grosso (MS), Francisco Inácio de Almeida (DF), George Gurgel (BA), João Vitor Garcia (MG), Jorge Espeschit (MG), Juarez Amorim (MG), Luiz Carlos Azedo (DF), Mauricio Huertas (SP), Osmar Monte (DF) e Soninha Francine (SP).

A partir do encontro preparativo deste fim-de-semana, será elaborado um texto-base para orientar discussões no país inteiro, com encontros presenciais e a participação virtual aberta a todos os interessados. Divulgaremos oportunamente o calendário de atividades e o novo Portal da FAP manterá as informações atualizadas.

domingo, 2 de agosto de 2015

#ProgramaDiferente apresenta uma "Terra de Ninguém" insustentável chamada Brasil



O #ProgramaDiferente desta semana trata, em diferentes escalas, de uma "Terra de Ninguém" existente no Brasil. Seja na política partidária, com a luta da Rede Sustentabilidade de Marina Silva contra obstáculos burocráticos inimagináveis para conseguir a sua legalização, seja no meio da Floresta Amazônica com a polêmica obra da usina hidrelétrica de Jirau, ou mesmo em plena cidade de São Paulo, com abusos e omissões do plano diretor e da lei de zoneamento, o termo figurativo criado na guerra ilustra bem esses territórios não ocupados, entre duas forças beligerantes.

São todos retratos instantâneos de uma realidade desconhecida da maioria da população, mas que tem consequências catastróficas para a cidadania, o meio ambiente, a qualidade de vida, os direitos humanos e a economia do país. Enquanto a grande imprensa segue pautada pela agenda oficial do governo e por interesses do sistema econômico e político, o Brasil real continua distante da TV. 

Se diante do olhar atento do mundo, em grandes centros como São Paulo, Rio e Brasília, os escândalos se sucedem num ritmo alucinante, maior até do que a capacidade de fiscalização, controle, investigação e punição, imagine no meio da Floresta Amazônica. É o que vemos no debate sobre a Usina de Jirau, mais um escândalo patrocinado pelo governo federal - este no Estado de Rondônia, marcado por crimes ambientais e trabalhistas.

O vale-tudo ditado pelo poder econômico e político provoca danos irreparáveis à biodiversidade, com forte impacto na vida e na saúde das populações locais. A Sustentabilidade não pode ser apenas um rótulo moderno para ser tratado em rodas de intelectuais, mas uma premissa básica para o desenvolvimento de uma sociedade mais justa, igualitária, fraterna e democrática.

Da obra escondida no meio da floresta, debatida pelos documentaristas da ONG Repórter Brasil, aos problemas urbanos do plano diretor e da lei de zoneamento da cidade de São Paulo, denunciados pela senadora Marta Suplicy. Passando ainda pelo empenho de Bazileu Margarido na luta diária pela legalização da Rede Sustentabilidade.

É esta "Terra de Ninguém" o tema que une todos os convidados desta edição do #ProgramaDiferente. O que buscamos, ainda que pareça uma luta inglória, é uma nova forma de fazer política, com ética, transparência, bom senso, dignidade e coerência. Assista.