sábado, 31 de março de 2012

Protesto marca o 16º aniversário das Mães da Sé

A Associação Brasileira de Busca e Defesa à Criança Desaparecida, mais conhecida como Mães da Sé, entidade fundada e presidida por Ivanise Esperidião da Silva Santos, aproveitou a comemoração do 16º aniversário para protestar contra a falta de políticas públicas para solucionar o desaparecimento de pessoas no país.

Com a presença da pré-candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, e do presidente do PPS paulistano, Carlos Fernandes, o ato nas escadarias da Catedral da Sé reuniu dezenas de mães com cartazes e fotos dos filhos desaparecidos.

"Nosso trabalho é considerado uma referência nacional na localização e reintegração à família de crianças e adolescentes desaparecidos no Estado de São Paulo, trabalhando de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente em cumprimento da lei federal 8.069/90", afirma Ivanise Santos, pré-candidata a vereadora pelo PPS.

"Nos últimos anos foi possível reduzir estatísticas de desaparecimento no Estado de São Paulo, graças ao desenvolvimento de ações preventivas junto à sociedade, através de parcerias com a iniciativa privada, com a divulgação em massa de fotos de pessoas desaparecidas e em campanhas apoiadas pela imprensa".

O presidente da Fundação Criança, Ariel de Castro Alves, explicou que um dos principais problemas é a falta de um cadastro nacional de crianças desaparecidas. “Existe uma expectativa em relação ao funcionamento efetivo do cadastro nacional, que apesar de ter sido criado por lei em dezembro de 2009, acaba não funcionando efetivamente”.

É a luta que Ivanise vem travando há anos: o primeiro passo para que o registro nacional funcione é a criação de cadastros estaduais que tenham foto e as informações básicas da pessoa procurada. “O mais importante seria integrar as polícias estaduais com o governo federal por meio do Ministério da Justiça”, afirma Ariel Alves. Há, estado de São Paulo, cerca de 9 mil crianças e adolescentes estão desaparecidos.

Eles também reclamam que há resistência da polícia em colocar em prática a lei que determina o registro imediato dos desaparecimentos. “Ainda hoje é muito comum que a polícia impeça esse registro imediato, não aceite que seja registrado imediatamente, manda esperar 24 ou 48 horas e nós sabemos que esses momentos iniciais sãos os mais importantes para tentar localizar a pessoa desaparecida”.

Leia também:

Mães da Sé lutam por atenção e informação

G1: Mães da Sé completam 16 anos de luta


sexta-feira, 30 de março de 2012

PPS debate uma cidade de São Paulo sustentável

Dando sequência à série de encontros temáticos do PPS na formulação do Plano de Governo para a Prefeitura de São Paulo, foi debatido nesta quinta-feira (29/3) o tema "Meio Ambiente e Cidade Sustentável", com apresentações de Soninha Francine, Ricardo Young e José Valverde.

Trata-se de um tema central da campanha dos candidatos a vereador e a prefeito do PPS em todo o país. Neste sentido, o partido também foi o primeiro a assumir em São Paulo (e nacionalmente), com todos os seus candidatos, o compromisso de implantar o Programa Cidades Sustentáveis para garantir um desenvolvimento econômico, social e ambiental equilibrado.

O empresário Ricardo Young, pré-candidato a vereador do PPS, idealizador e dirigente de entidades como Instituto Ethos, IDS – Instituto Democracia e Sustentabilidade, Rede Nossa São Paulo e Movimento Nova Política, fez uma apresentação abrangente sobre iniciativas como o Programa Cidades Sustentáveis, os Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município (IRBEM) e os princípios contidos na Carta da Terra, entre outras ações ambientais. Veja aqui os slides da apresentação.

O advogado José Valverde, dirigente do PPS e especialista em direito ambiental, falou sobre os problemas da destinação do lixo urbano e a importância da Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Valverde relembrou o papel destacado do PPS no tema, desde o mandato do ex-deputado (1999-2002) Emerson Kapaz até a atuação decisiva do deputado federal Arnaldo Jardim como presidente do Grupo de Trabalho responsável pela aprovação da Lei da PNRS.

Interessante que, neste assunto que hoje é tão prioritário, o PPS já se debruçava desde a década de 90 - quando a Ecologia ainda era tratada como tema supérfluo. Um exemplo é a premiada série de reportagens "São Paulo: a capital do lixo", publicada em 1996 pelo jornalista Maurício Huertas, secretário de Comunicação do PPS/SP, mas que permanece incrivelmente atual após 16 anos.

A pré-candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, fez uma explanação geral sobre as propostas do PPS que envolvem o Meio Ambiente e a sustentabilidade.

Relembrou de pontos que defende desde a campanha de 2008, como ampliar a parceria com o Programa Saúde da Família para Educação Ambiental nas comunidades; priorizar a agenda ambiental na administração pública; intensificar o Programa Córrego Limpo, a implantação de parques e a inspeção veicular; ampliar a arborização, com apoio de empresas e cidadãos; racionalizar a coleta seletiva; entre outras ideias e experiências vivenciadas como vereadora e subprefeita da Lapa.

Soninha também destacou uma lei aprovada em 2007, a partir de um projeto dela como vereadora, que estabelece a inclusão de material reciclado em todas as compras feitas pela Prefeitura de São Paulo.

Devido à limitação do tempo de exposição no debate e ao número elevado de participantes, Soninha se comprometeu a responder aqui no Blog do PPS às questões levantadas, por etapas. Acompanhe.

Houve ainda uma série de intervenções propositivas do presidente municipal do PPS, Carlos Fernandes, da dirigente Helena Werneck e dos pré-candidatos do PPS à Câmara Municipal, que apresentaram desde sugestões práticas para a melhoria das questões ambientais na cidade até experiências pessoais, como o pré-candidato Sidnei Silva, que foi catador de material reciclável antes de se eleger conselheiro tutelar da Criança e do Adolescente.

Leia também:

O que são, afinal, as "cidades sustentáveis"?

PPS associa Código Florestal, Rio+20 e #VetaDilma


Ethos: PPS tem preocupação efetiva com a questão ambiental

Encontros temáticos

Já foram abordados os temas Legislação Eleitoral, Subprefeituras, Mobilidade Urbana e Transporte, e Educação.

Todos os encontros do PPS têm transmissão online e posteriormente o conteúdo é disponibilizado nos meios de comunicação do partido. Reveja no Canal PPS Sampa as principais apresentações.

Os encontros são realizados sempre às quintas-feiras, a partir das 19h, na Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 - Bela Vista) e servem para a formulação do Programa de Governo do PPS e orientação dos pré-candidatos na chapa de Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo.

Segue abaixo o calendário com os próximos temas a serem debatidos, com a participação de especialistas e dos pré-candidatos do PPS, tendo como ponto em comum de todos os eventos a sustentabilidade:

12/4 – “Emprego e Renda / Desenvolvimento Social” – Coordenação de Davi Zaia, Chiquinho Pereira e José Antonio Cipolla. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

19/4 – “Saúde” – Coordenação do Dr. Mamede, Dra. Maira Saad e Dr. Roger Lin. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

26/4 – “Esporte, Cultura, Lazer e Qualidade de Vida” - Coordenação de Soninha Francine, Vitor Adami, Mauricio Huertas, Ronaldo Sagres e Heraldo Correa. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

10/5 – “Habitação e Plano Diretor” - Coordenação de Ulrich Hoffmann, Paulo Cesar de Oliveira e Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

17/5 – “Diversidade, direitos e garantias" - Coordenação de Soninha Francine, Lylian Concellos, Pai Guimarães e coordenadores temáticos. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

24/5 - "Segurança" - Coordenação de Soninha Francine e Ari Friedenbach. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

31/5 - "Orçamento da cidade, democratização e fortalecimento do Poder Local" - Coordenação de Paulo Cesar de Oliveira. Local: Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

Mães da Sé completam 16 anos com ato no sábado

Pré-candidata a vereadora de São Paulo pelo PPS, Ivanise Esperidião da Silva Santos convida para ato público pelos 16 anos de fundação da Associação Brasileira de Busca e Defesa à Criança Desaparecida “Mães da Sé”.

Com apenas 2.778 casos solucionados, dos mais de 9.000 casos cadastrados, a Associação Brasileira de Busca e Defesa à Criança Desaparecida, nacionalmente conhecida como Mães da Sé, completa 16 anos de existência em 31 de Março de 2012.

"Nosso trabalho é considerado uma referência nacional na localização e reintegração à família de crianças e adolescentes desaparecidos no Estado de São Paulo, trabalhando de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente em cumprimento da lei federal 8.069/90", afirma Ivanise Santos.

"Nos últimos anos foi possível reduzir estatísticas de desaparecimento no Estado de São Paulo, graças ao desenvolvimento de ações preventivas junto à sociedade, através de parcerias com a iniciativa privada, com a divulgação em massa de fotos de pessoas desaparecidas e em campanhas apoiadas pela imprensa".

Além de comemorar os resultados obtidos nesses 16 anos, as Mães da Sé tem novas metas.

"Estes números serão utilizados daqui para frente estabelecer novas políticas públicas na prevenção e na busca pelas crianças desaparecidas", afirma Ivanise.

"Queremos incentivar a sociedade a participar do processo de localização de crianças e adultos desaparecidos, por isso estamos preparando uma grande mobilização com parentes de desaparecidos e convocando todo mundo parte dessa manifestação, pois já estamos cansados de esperar dias, meses, anos sem uma resposta das autoridades, e só vamos conseguir essa resposta quando a sociedade for nossa principal parceira, e se unir à nossa luta."

Aniversário de 16 anos de fundação das Mães da Sé
Sábado, 31 de Março, a partir das 14h00 na Praça da Sé.

Soninha responde assuntos levantados no debate

Sobre algumas das questões levantadas no debate do PPS sobre Meio Ambiente e Cidade Sustentável, nesta terça-feira (29/3), depois das exposições da Mesa:

- “Casamento” entre PSF (Programa Saúde da Família) e Educação Ambiental, sugestão da Helena Werneck:

(Resp): Bem lembrado!! A Secretaria do Verde, sob comando do Eduardo Jorge (de quem sou fã desavergonhadamente rs) instituiu o PAVS, “Projeto Ambientes Verdes e Saudáveis” que fazia exatamente isso!

Ambientes Verdes e Saudáveis

O Projeto Ambientes Verdes e Saudáveis (PAVS) tem como objetivo fortalecer a gestão integrada entre três secretarias: Verde e Meio Ambiente, Saúde e Desenvolvimento e Ação Social, para o desenvolvimento de uma agenda de proteção e de promoção de ambientes verdes e saudáveis com enfoque interdisciplinar: saúde e meio ambiente. Para isso, promoveu o diálogo ambiental com os Agentes Comunitários de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde e da Secretaria de Desenvolvimento e Ação Social.

No ano de 2007 foram capacitados 4.967 agentes, sendo 4.864 agentes comunitários de saúde e 68 agentes de proteção social. Eles estudaram os temas lixo, água, energia, biodiversidade, convivência saudável com animais e zoonoses, consumo consciente, cultura de paz e não violência. O Projeto visa também promover a qualificação dos gestores das organizações responsáveis pela gestão e formulação de políticas públicas ambientais e de saúde para a tomada de decisões e implementação de uma agenda integrada. Neste momento, o PAVS está em uma segunda fase, realizando a implementação de projetos e ações de intervenção em nível local. (do site da Secretaria)

No programa de governo de 2008 - pg 34, o PAVS foi citado como um dos programas de educação ambiental a serem incrementados.

Não consegui descobrir se o programa foi mantido ou descontinuado - as últimas notícias dele são bem antigas, já. Certamente o retomaremos!


Soninha Francine

Leia também:

Plano de Governo do PPS para SP (elaborado em 2008)

quinta-feira, 29 de março de 2012

O que são, afinal, as "cidades sustentáveis"?


O PPS vem falando de sustentabilidade, da carta-compromisso com a sociedade para construir um programa das cidades sustentáveis, do desenvolvimento sustentável... Acabou virando piada quando, em um dos encontros regionais do PPS paulistano, um vereador mencionou a "sustabilidade". É quase isso: o nome assusta! Mas, afinal, o que é essa tal de sustentabilidade?

O vídeo acima é auto-explicativo. Vale a pena assistir. Em resumo, o Programa Cidades Sustentáveis tem o objetivo de sensibilizar, mobilizar e oferecer ferramentas para que as cidades brasileiras se desenvolvam de forma econômica, social e ambientalmente equilibrada.

Leia também:

PPS tem compromisso com "cidades sustentáveis"

São Paulo precisa de um "Sinal Verde"

Quinta, 19h: "Meio Ambiente e Cidade Sustentável"

Nesta quinta-feira, 29 de março, a partir das 19h, dando sequência à série de encontros temáticos do PPS, acontece na Câmara Municipal de São Paulo (Plenarinho Prestes Maia, 1º andar) o evento sobre "Meio Ambiente e Cidade Sustentável", com apresentações de Soninha Francine, Ricardo Young e José Valverde. Assista AQUI ao vivo.

Trata-se de um tema central da campanha dos nossos candidatos a vereador e a prefeito em todo o país. Neste sentido, o PPS também foi o primeiro partido a assumir o compromisso de implantar o Programa Cidades Sustentáveis, para garantir um desenvolvimento econômico, social e ambiental equilibrado.

Já foram abordados os temas Legislação Eleitoral, Subprefeituras, Mobilidade Urbana e Transporte, e Educação.

Todos os encontros do PPS têm transmissão online e posteriormente o conteúdo é disponibilizado nos meios de comunicação do partido. Reveja no Canal PPS Sampa as principais apresentações.

Os encontros são realizados sempre às quintas-feiras, a partir das 19h, na Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 - Bela Vista) e servem para a formulação do Programa de Governo do PPS e orientação dos pré-candidatos na chapa de Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo.

Segue abaixo o calendário com os próximos temas a serem debatidos, com a participação de especialistas e dos pré-candidatos do PPS, tendo como ponto em comum de todos os eventos a sustentabilidade:

29/3 – "Meio Ambiente e Cidade Sustentável" – Coordenação de Soninha Francine, Ricardo Young, José Valverde e Arnaldo Jardim. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

12/4 – “Emprego e Renda / Desenvolvimento Social” – Coordenação de Davi Zaia, Chiquinho Pereira e José Antonio Cipolla. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

19/4 – “Saúde” – Coordenação do Dr. Mamede, Dra. Maira Saad e Dr. Roger Lin. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

26/4 – “Habitação e Plano Diretor” - Coordenação de Ulrich Hoffmann, Paulo Cesar de Oliveira e Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

10/5 – “Esporte, Cultura, Lazer e Qualidade de Vida” - Coordenação de Soninha Francine, Vitor Adami, Mauricio Huertas, Ronaldo Sagres e Heraldo Correa. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

17/5 – “Diversidade, direitos e garantias" - Coordenação de Soninha Francine, Lylian Concellos, Pai Guimarães e coordenadores temáticos. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

24/5 - "Segurança" - Coordenação de Soninha Francine e Ari Friedenbach. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

31/5 - "Orçamento da cidade, democratização e fortalecimento do Poder Local" - Coordenação de Paulo Cesar de Oliveira. Local: Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Soninha participa da "Caravana Arte Contra o Crack"

A pré-candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, participou neste fim-de-semana do primeiro encontro da Caravana Arte Contra o Crack, na Cidade Tiradentes, no extremo da zona leste paulistana. Soninha falou sobre o tema “Políticas Públicas e Cultura na Prevenção ao Crack”.

Realizado no sábado à noite, o evento contou também com a presença do ator e diretor do Instituto Pombas Urbanas, Marcelo Palmares; do senador Eduardo Suplicy (PT); do deputado estadual Adriano Diogo (PT); e do dramaturgo Asdrúbal Serrano.

A jornalista e ex-vereadora Soninha Francine (PPS) iniciou a mesa abordando a relevância que programas educacionais, culturais e esportivos têm na prevenção às drogas e como se impactam na escolha dos indivíduos em situação de vulnerabilidade.

O diretor Marcelo Palmares também falou sobre a importância que projetos de inclusão cultural direcionados aos jovens das periferias têm na formação e inclusão cultural das comunidades carentes. Ressaltou, ainda, que os programas do Instituto Pombas Urbanas auxiliam no desenvolvimento crítico das crianças e adolescentes.

O deputado Adriano Diogo discursou sobre os mecanismos que a mídia utiliza na distorção sobre da compreensão das drogas e dos "grandes tubarões do tráfico", que nunca são presos.

O senador Eduardo Suplicy explanou sobre a importância que os programas de transferência de renda têm nas escolhas individuais e enfatizou como a Renda Básica de Cidadania poderia incluir economicamente a população socialmente vulnerável.

O dramaturgo Asdrúbal Serrano reportou sobre o programa de Formação de Agentes Multiplicadores realizado simultaneamente em Guaianases, Divinolândia e Caconde. Divulgou, ainda, a agenda da Caravana Arte Contra o Crack, que percorrerá quatro regiões da capital e várias cidades do interior.

Teatro com Soninha, Suplicy e Diogo

Após o debate, Asdrúbal Serrano dirigiu uma esquete teatral com as atuações improvisadas de Suplicy, Soninha, Adriano Diogo e Laís (atriz do Teatro Popular Cara e Coragem). Ao final, a apresentação foi ovacionada pela platéia, que lotou os 350 lugares do Teatro Ventre de Lona, anexo ao Instituto Pombas Urbanas.

Serão realizadas, ao longo deste ano, doze encontros - sendo quatro na capital, nos bairros de Cidade Tiradentes e Guaianases (ambos na zona leste da cidade), Heliópolis (zona sul) e Bela Vista (região central), e oito edições nas cidades de Poá, Caconde, Divinolândia, São José do Rio Pardo, São João da Boa Vista, Aguaí, São Carlos e Araraquara.

Leia também:

PPS debate o que funciona contra o Crack

domingo, 25 de março de 2012

Revista da Folha entrevista Soninha Francine


Ex-vereadora elogia Erundina e afirma que Serra fez "milagres"

Criada por uma família de classe média em Santana, na zona norte, lá se vão quase 30 anos desde que Sonia Francine Gaspar Marmo, 44, bandeou-se para o lado oeste da cidade. O atual endereço é a Vila Pompeia, onde mora com a caçula Julia, 14 -Soninha também é mãe de Rachel, 28, e Sarah, 25.

Para se locomover, utiliza ônibus, bicicleta, metrô, moto e, como "última opção", carro. Se eleita, diz que evitaria o helicóptero. "A experiência de se deslocar [pelo chão] é valiosa para resolver os problemas da cidade."

Ex-VJ da MTV, Soninha foi criticada por parte da opinião pública, em 2001, ao admitir que fumava maconha em uma entrevista. Anos depois, entrou para a política pelo PT, foi eleita vereadora em 2004 e migrou para o PPS em 2007. Integrou a campanha presidencial de José Serra (PSDB) em 2010 e, agora, deverá tê-lo como adversário.

Quinta colocada em sua primeira tentativa para a prefeitura, em 2008, apoiou Gilberto Kassab (então DEM, hoje PSD) contra Marta Suplicy (PT) no segundo turno. Hoje, faz algumas ressalvas sobre a gestão do prefeito.

raio-x

FORMAÇÃO: magistério e cinema

FILIAÇÃO: PPS (já foi do PT)

CARGOS PÚBLICOS: vereadora de 2005 a 2008 e subprefeita da Lapa; hoje, dirige a Sutaco, autarquia de artesanato ligada ao governo estadual

ANTES DA POLÍTICA: nos anos 1990, trabalhou na MTV; depois, atuou como comentarista da ESPN e foi colunista da Folha

PESQUISA DATAFOLHA: está em 5º lugar, com 7%, empatada com Chalita

As coisas mudaram muito em Santana desde que morava lá?
Santana não escapou das mudanças da cidade. Casas que para mim eram intocáveis foram ao chão. No lugar, tem prédio com vidro azul. Dói, sabe?

Como vê a política de preservação do patrimônio da cidade?
Temos de ter critérios rigorosos para o tombamento, mas eles podem ser abrangentes, levar em conta o valor simbólico. Há casas na Lapa que não têm nada de especial, mas são a cara do bairro.

O que mais a agrada na cidade?
A 'mistureba' de gente, especialmente no centro. Tem funcionário público graduado, ambulante, freguesia da 25 de Março, operadores da Bolsa, religioso.

E o que mais a incomoda?
Sete milhões de veículos, meu Deus! A falta de sinalização decente, o barulho do trânsito, a destruição de casas com valor afetivo para se construir prédios enormes cercados de muros e com quatro vagas de garagem por apartamento...

Como se locomove na cidade?
De ônibus e metrô. Não acho justo sair sozinha de carro se eu tiver alternativas. Atualmente, nem estou abrindo mão em nome da mobilidade coletiva, e sim porque é rápido, sossegado, tem corredor. Aqui no centro uso bicicleta. Moto eu quase não uso mais. De carro só saio se estiver com outras pessoas, umas três, ou com bagagem. É minha última opção.

Utiliza algum outro serviço público?
Trem da CPTM, UBS [Unidade Básica de Saúde], Centro Cultural São Paulo, Mercado Municipal, museus, o 156 [serviço de informações da prefeitura]...

Se ganhar, vai andar de helicóptero?
O mínimo possível. Não quero sacanear os prefeitos que usaram, pois você vai em 15 minutos para Cidade Tiradentes, na zona leste. Para mim, no entanto, fazer esse deslocamento de outro jeito não é tempo gasto, é tempo útil. A experiência de se deslocar de trem, de metrô, de carro, que seja, é valiosa para quem quer resolver os problemas da cidade.

Em quais cidades São Paulo poderia se inspirar para melhorar?
Acho Berlim um exemplo. É um lugar que passou por perrengues absurdos, foi destruído na guerra e hoje é uma cidade de bem-estar onde a convivência entre carros e bicicletas é pacífica. Quando falo em inverter a ordem das coisas, não é um movimento hippie. É moderno, é lógico, não é 'parem as máquinas'. Os trens, o metrô, a bicicleta, a integração...

Derrubaria o Minhocão?
Depois de resolver outras coisas, sim. Não seria prioridade. E talvez derrubasse só metade, o que já aliviaria bastante insolação, ventilação e nível de ruído.

A cracolândia tem solução?
Equipamentos culturais e polos de economia criativa têm impactos positivos, mas não funcionam sem gente morando. Sou a favor de que a prefeitura tome as rédeas. Mas é uma intervenção dolorida.

Quem foi o melhor prefeito de SP?
Pode dois? A Erundina [1989-92] e o Serra [2005-2006]. Ela não tinha maioria na Câmara e era detonada na imprensa. Mesmo assim fez um governo bacana. E o Serra fez milagres. Ao contrário do que diz a Marta, ele pegou as finanças em ruínas e fez a arrecadação crescer.

E o pior?
O Maluf foi um desastre. Gastou milhões em obras que não eram as mais importantes, destruiu a saúde, tinha descaso pela educação. Até hoje a gente descobre 'presentes' dele debaixo do solo. Deprê.

Como avalia a gestão Kassab?
Foi bem nas áreas de educação, meio ambiente, cultura. Embora tenha inaugurado novos equipamentos de saúde, o atendimento ainda tem problemas. Foi devagar na habitação e deixou muito a desejar em relação às subprefeituras.

Restrições como a Lei do Psiu podem tirar a vocação boêmia de SP?
Não mesmo. É possível aperfeiçoar itens da legislação, mas é preciso garantir o direito de diversão sem aniquilar a possibilidade de sono da vizinhança.

Tem medo de a cidade passar vergonha na Copa 2014?
Não tenho tanto medo, não. Embora o Itaquerão em si seja um mistério.

Se eleita, qual será a sua marca?
Fazer o sistema de ônibus funcionar melhor. A espera é uma angústia. O metrô, apesar de sobrecarregado, é previsível.

E o que não faltaria no seu gabinete?
Iria ficar uma bagunça de livros, revistas e gente. Acho que seria menos silencioso, mais com cara de redação de jornal do que de sala de autoridade.

(LÍVIA SAMPAIO, Revista da Folha, 25/3/2012)

sexta-feira, 23 de março de 2012

PPS discute desafios da Educação em São Paulo

A Câmara Municipal de São Paulo recebeu nesta quinta-feira (22) um evento para debater os avanços e desafios da Educação na Cidade de São Paulo, sob coordenação do vereador Cláudio Fonseca (PPS), presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara e também do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal (Sinpeem).

Segundo o professor Claudio Fonseca, há uma série de desafios no setor da Educação. "O primeiro grande desafio de São Paulo é universalizar o atendimento na educação básica, acabar com o déficit de vagas nas creches para crianças até 3 anos", afirma. "Precisamos também gerar a universalização no ensino médio, que embora não seja obrigação municipal, deve haver um diálogo com os outros poderes nesse sentido.”

Segundo dados da Secretaria Municipal de Educação, há 97 mil crianças à espera de vagas nas creches paulistanas.

A pré-candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, defende que, nos casos em que a mãe não consegue vagas em creche, o poder público deveria pagar escolinha particular ou o custo que a mãe teria com uma profissional para cuidar do filho dela. “Eu sei que é polêmico, mas defendo essa visão”, disse.

Relembre aqui como foi o programa sobre Educação na campanha de Soninha Francine à Prefeitura em 2008.

Outra batalha a ser vencida, segundo Claudio Fonseca, é a questão de qualidade no ensino. “Todos os indicadores registram uma queda no desempenho dos alunos. Precisamos substituir o sistema de Progressão Continuada para uma Progressão Qualificada, aquela que indica que o aluno permanece na escola para aprender.”

O encontro desta quinta faz parte de uma série de palestras organizadas pelo PPS, que discutem temas pertinentes à cidade de São Paulo sob o ponto de vista da sustentabilidade. (Com informações do Portal da Câmara / Foto: RenattodSousa)

Quarto encontro com auditório lotado

Além dos mais de cem pré-candidatos a vereador do PPS, compareceram dirigentes como o presidente estadual Davi Zaia, secretário de Gestão Pública do Estado de São Paulo, e o secretário-adjunto Ulrich Hoffmann, entre outros.

Já foram abordados os temas Legislação Eleitoral, Subprefeituras e Mobilidade Urbana e Transporte e reuniu políticos, membros da sociedade civil e especialistas no tema. O próximo encontro, no dia 29, tratará de Meio Ambiente e Cidade Sustentável.

Ciclo de encontros do PPS

Todos os encontros do PPS têm transmissão online e posteriormente o conteúdo é disponibilizado nos meios de comunicação do partido. Reveja no Canal PPS Sampa as principais apresentações.

Os encontros são realizados sempre às quintas-feiras, a partir das 19h, na Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 - Bela Vista) e servem para a formulação do Programa de Governo do PPS e orientação dos pré-candidatos na chapa de Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo.

Segue abaixo o calendário com os próximos temas a serem debatidos, com a participação de especialistas e dos pré-candidatos do PPS, tendo como ponto em comum de todos os eventos a sustentabilidade:

29/3 – "Meio Ambiente e Cidade Sustentável" – Coordenação de Soninha Francine, Ricardo Young, José Valverde e Arnaldo Jardim. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

12/4 – “Emprego e Renda / Desenvolvimento Social” – Coordenação de Davi Zaia, Chiquinho Pereira e José Antonio Cipolla. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

19/4 – “Saúde” – Coordenação do Dr. Mamede, Dra. Maira Saad e Dr. Roger Lin. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

26/4 – “Habitação e Plano Diretor” - Coordenação de Ulrich Hoffmann, Paulo Cesar de Oliveira e Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

10/5 – “Esporte, Cultura, Lazer e Qualidade de Vida” - Coordenação de Soninha Francine, Vitor Adami, Mauricio Huertas e Heraldo Correa. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

17/5 – “Diversidade, direitos e garantias" - Coordenação de Soninha Francine, Lylian Concellos, Pai Guimarães e coordenadores temáticos. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

24/5 - "Segurança" - Coordenação de Soninha Francine e Ari Friedenbach. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

31/5 - "Orçamento da cidade, democratização e fortalecimento do Poder Local" - Coordenação de Paulo Cesar de Oliveira. Local: Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

"Tuitaço" em comemoração a 90 anos do PCB/PPS

Nesta sexta-feira (23), das 10h às 17h, militantes, dirigentes e simpatizantes do PPS realizarão um “tuitaço” em homenagem ao aniversário de 90 anos do PCB/PPS, comemorado no próximo domingo, dia 25 de março.

Durante a ação no twitter, valerá contar “causos”, relembrar momentos históricos, citar personalidades e destacar histórias de pessoas que ajudaram na construção do partido, fundado em 1922.

Com sua inegável contribuição para a história e para o avanço da sociedade brasileira, o PCB/PPS tornou-se símbolo da luta em defesa das liberdades democráticas.

No “tuitaço” valerá também a postagem de mensagens sobre o atual momento do PPS, que luta pelo correção dos rumos do país por meio da elaboração de propostas e da constante e contundente atuação no papel de oposição ao governo federal.

Temas como valorização da mulher, do meio ambiente e a luta constante pela moralização e transparência da política também devem fazer parte do movimento no twitter.

Para participar, basta postar sua mensagem de homenagem acompanhada da hashtag: #90anosPCBPPS. Siga o twitter @23pps.

quinta-feira, 22 de março de 2012

CCJ da Câmara paulistana aprova terreno para Lula

Sessão tumultuada teve união do PT com base governista e manobra estranha do PSDB, que garantiu maioria pró-Kassab

A toque de caixa, em sessão tumultuada, com união do PT e da base kassabista, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal de São Paulo deu nesta quarta-feira (21/3), por 6 votos a 2, parecer favorável à iniciativa do prefeito Gilberto Kassab: ceder uma área pública no centro da cidade para a instalação do Instituto Lula.

Trata-se de um terreno de 2.220 m² localizado na Rua dos Protestantes, próximo à Estação da Luz, a região da chamada Cracolândia. A cessão vale por um período inicial de 99 anos, sem qualquer custo. Ali o Instituto Lula pretende erguer um museu, batizado de Memorial da Democracia. O local abrigaria o acervo documental referente ao mandato do ex-presidente Lula e também ofereceria cursos para a população. Antes de ir a plenário, o projeto ainda precisará passar por outras três comissões.

O vereador Aurélio Miguel (PR), que votou contra o projeto, declarou que a cessão caracteriza um benefício indevido a uma fundação privada e questionou se outras instituições também não teriam o mesmo direito. “Existem diversas entidades de relevância que prestam serviços à população, como a AACD”, disse o ex-judoca.

O outro parlamentar que se opôs ao projeto foi Floriano Pesaro (PSDB), que colocou em dúvida a legalidade do PL, que não cumpriria fins de concessão determinados pela Lei Orgânica do Município.

“As contrapartidas são desde atividades gratuitas para população, até se enquadrar na área de cultura ou da educação. O Instituto Lula não se enquadra em nenhuma dessas. O projeto não garante nenhuma atividade gratuita. Portanto, nós consideramos o projeto ilegal”, declarou Pesaro, que ainda criticou o uso do dinheiro público para uma entidade ligada a um partido político.

O petista José Américo rebateu e negou que seja um favorecimento ao seu partido. “É um instituto que vai trazer o legado do presidente Lula, mas a ideia é que honre também o legado de outros presidentes do período democrático, inclusive do Fernando Henrique, do partido dele”.

Na justificativa do projeto, o município afirma que o Instituto Lula promoverá o “resgate e difusão da memória recente da história política do País, bem como o seu mérito na área educacional e social, diante da contribuição para as novas gerações da disponibilização do acervo acumulado pelo ex-presidente Lula durante sua trajetória política”.

Votaram a favor do projeto os vereadores Arselino Tatto (PT), José Americo (PT), Abou Anni (PV), Roberto Trípoli (PV), Dalton Silvano (PV) e Marco Aurélio Cunha (PSD). O vereador Celso Jatene (PTB) se absteve. (Com informações do Portal da Câmara e foto de RenattodSousa)

Nota do Blog do PPS: Alguns acontecimentos inusitados marcaram essa votação da CCJ. Além do bate-boca acalorado entre vereadores, o PSDB adotou manobra que chamou atenção. Cedeu a vaga do vereador Adolfo Quintas, ausente da sessão, ao líder do governo Roberto Tripoli (PV) - um voto certo a favor do projeto do Executivo, justamente no partido cujo líder, Floriano Pesaro, aparentava ser o maior opositor. Com Quintas, sem Tripoli, a votação seria mais apertada, com a possibilidade, ainda, da reversão do voto de Celso Jatene, que se absteve. Ou seja: o PSDB deu vitória ao projeto de Kassab, cedendo mais um voto a favor do Instituto Lula.

Leia também:

PPS é contra ceder área pública para Instituto Lula

Assista: PPS debate "Educação" hoje, 22/3, às 19h

Em mais um encontro temático da série promovida pelo PPS paulistano, nesta quinta-feira, 22 de março, é a vez da "Educação na Cidade de São Paulo”, sob coordenação do vereador Claudio Fonseca, líder do PPS e presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal (Sinpeem). Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal, às 19h.

Assista AQUI, ao vivo, a partir das 19h desta quinta-feira (22/3). Todos os encontros do PPS têm transmissão online e posteriormente o conteúdo é disponibilizado nos meios de comunicação do partido. Reveja no Canal PPS Sampa as principais apresentações.

Os encontros são realizados sempre às quintas-feiras, a partir das 19h, na Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 - Bela Vista) e servem para a formulação do Programa de Governo do PPS e orientação dos pré-candidatos na chapa de Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo.

Segue abaixo o calendário com os próximos temas a serem debatidos, com a participação de especialistas e dos pré-candidatos do PPS, tendo como ponto em comum de todos os eventos a sustentabilidade:

22/3 – “Educação” – Coordenação de Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

29/3 – "Meio Ambiente e Cidade Sustentável" – Coordenação de Soninha Francine, Ricardo Young, José Valverde e Arnaldo Jardim. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

12/4 – “Emprego e Renda / Desenvolvimento Social” – Coordenação de Davi Zaia, Chiquinho Pereira e José Antonio Cipolla. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

19/4 – “Saúde” – Coordenação do Dr. Mamede, Dra. Maira Saad e Dr. Roger Lin. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

26/4 – “Habitação e Plano Diretor” - Coordenação de Ulrich Hoffmann, Paulo Cesar de Oliveira e Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

10/5 – “Esporte, Cultura, Lazer e Qualidade de Vida” - Coordenação de Soninha Francine, Vitor Adami, Mauricio Huertas e Heraldo Correa. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

17/5 – “Diversidade, direitos e garantias" - Coordenação de Soninha Francine, Lylian Concellos, Pai Guimarães e coordenadores temáticos. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

24/5 - "Segurança" - Coordenação de Soninha Francine e Ari Friedenbach. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

31/5 - "Orçamento da cidade, democratização e fortalecimento do Poder Local" - Coordenação de Paulo Cesar de Oliveira. Local: Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

Leia também:

15/3 - PPS debate soluções para mobilidade e transporte

8/3 - Pré-candidatos do PPS debatem as Subprefeituras


1/3 - PPS abre ciclo de encontros com pré-candidatos

quarta-feira, 21 de março de 2012

Soninha é entrevistada ao vivo na TV do Portal Terra

Hoje, às 14h30, a TV do portal Terra entrevista Soninha Francine, pré-candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo para falar sobre como a campanha será conduzida, possíveis alianças e os projetos para a cidade.

A entrevista terá cerca de 30 minutos de duração, com transmissão ao vivo para todo o Brasil, e será conduzida pela jornalista Maria Lins. Há espaço para que os internautas mandem perguntas.

terça-feira, 20 de março de 2012

Agora todo mundo fala em 3ª via, é isso?



Primeiro apostavam na polarização entre PT e PSDB: a eleição se resumiria a um tira-teima entre o candidato de Lula e Dilma contra o candidato de Geraldo Alckmin. Avaliava-se que José Serra estava fora da disputa. Até por isso o PT podia abrir mão da favorita Marta Suplicy para lançar o neófito Fernando Haddad. Deu tudo errado.

A pouco mais de seis meses da eleição, Serra decidiu ser candidato, só se fala nisso e ele arrasta 30% da intenção de votos. Por outro lado, Haddad empacou em inexpressivos 3%. Com isso, a base lulodilmista vive um dilema: todos os seus pré-candidatos têm mais votos que o poste do PT. Como fazê-los, assim, abrir mão da disputa para apoiar Haddad?

Faz tempo, o PPS vem defendendo a tese de que o eleitor está saturado dessa polarização entre PT e PSDB, que só interessa mesmo a ambos, e procura uma candidatura alternativa, ou a popularmente chamada "terceira via".

Não precisa fazer muita conta para notar que a absoluta maioria dos votos paulistanos não vai nem para o candidato do PT, nem para o candidato do PSDB (embora eventualmente um deles possa estar à frente das pesquisas, com cerca de 30%; mas os restantes 70% estariam onde?). Ocorre que, hoje, bem mais da metade dos votos estão dispersos entre Celso Russomanno (PRB), Netinho de Paula (PCdoB), Soninha Francine (PPS), Gabriel Chalita (PMDB) e Paulinho da Força (PDT).

Destes todos, só o PPS de Soninha Francine faz oposição declarada ao PT e ao consórcio lulodilmista. Os demais partidos (PRB, PCdoB, PMDB, PDT) são da base governista - aliás, com uma particularidade: são daS baseS governistaS. "Hay gobierno, estoy dentro."

Inclua-se nesta conta, eventualmente, o PSB e o PV - e aqui não há nenhuma crítica ou juízo de valor, mas uma constatação factual. Há, por exemplo, ministros do PSB e PDT no governo Dilma (PT); Há secretários estaduais do PSB e PDT no governo Alckmin (PSDB); e há secretários municipais do PSB e PDT no governo Kassab (PSD).

O PMDB elegeu o vice-presidente da República (Michel Temer) e a vice-prefeita de São Paulo (Alda Marco Antônio) com a mesma desenvoltura que lança agora a pré-candidatura de Gabriel Chalita contra Serra/Kassab, enquanto se declara amigo pessoal de Alckmin e é sondado como "plano B" do PT. O PCdoB tem ministro dilmista, secretário kassabista... e por aí, vai!

Esses partidos que estão com um pé em cada canoa governista vêem agora na terceira via uma possibilidade de não se inviabilizarem definitivamente com nenhum dos lados. Ao lançarem candidaturas "alternativas" a Serra ou Haddad, surfam na tendência do eleitorado e não fecham as portas dos atuais - e futuros - governos. Do limão, tentam fazer a limonada.

Leia também:

Nova reflexão pré-eleitoral e a simbiose política

Artigo na Folha: "Um sinal verde para São Paulo"

Candidatura de Soninha reafirma posição do PPS

Será o último sopro de vida da 3ª via em São Paulo?

Nova reflexão pré-eleitoral e a simbiose política

De tempos em tempos, é bom fazer uma análise sobre os desdobramentos, fatos e boatos que marcam esse período pré-eleitoral. A primeira farsa derrubada: que a eleição seria, necessariamente, polarizada entre PT e PSDB - o que inviabilizaria, portanto, a idéia de uma terceira via, ou a construção de uma candidatura alternativa à polarização nacional.

Os números demonstram o contrário: os tucanos tiveram que reabilitar Serra, o único nome viável do PSDB paulistano, e Haddad não passa dos 3% (chega a inflados 8% numa situação hipotética com apenas 3 candidatos: ele, Chalita e Serra), deixando o PT em uma vexatória 7ª posição, atrás de Soninha (PPS), Netinho (PCdoB), Russomanno (PRB), Paulinho (PDT) e os já citados Chalita (PMDB) e Serra (PSDB).

O PPS lançou proposta de candidatura alternativa à polarização PT x PSDB, em torno de Soninha Francine, primeiro no Blog do PPS e depois em artigo na Folha de S. Paulo. O que parecia uma idéia absurda, demonstrou na prática a viabilidade: hoje, Russomanno, Netinho, Paulinho e Chalita debatem proposta idêntica.

Dissemos - e está comprovado - que a polarização PT x PSDB só interessava a ambos (e à imprensa míope), numa estranha simbiose política. Nota do Blog do PPS: Simbiose, para quem não sabe, é a associação de dois ou mais seres de espécie diferente, que lhes permite viver com vantagens recíprocas e os caracteriza como um só organismo - não podendo ser separados um do outro (o que causaria a morte de ambos).

Outro esclarecimento necessário: quando constatamos a saturação do eleitor com a polarização PT x PSDB - e a descrença na política e nos partidos de modo geral - estamos reiterando a necessidade de uma nova forma de atuação, com mais ética, transparência e sem os velhos vícios da politicagem tradicional. É o que o PPS aprovou nos seus congressos e exercita com a tese da #REDE23.

Porém, o PPS não se omite: apoiou e participou da gestão Serra/Kassab contra o PT - que instituiu na Prefeitura de São Paulo o modus operandi que seria "aprimorado" no governo federal com Lula e Dilma, incluindo o loteamento da máquina e métodos pouco ortodoxos para cooPTação de antigos adversários.

Portanto, não faz muito sentido o chororô de alguns tucanos (eles próprios divididos), que vêem uma afronta na proposta de terceira via defendida pelo PPS. Calma lá, companheiros! Seguimos aliados no campo de oposição ao PT, mas entendemos que em São Paulo, especialmente, podemos construir uma proposta mais moderna, viável e diferente para a cidade, em torno da candidatura de Soninha Francine. É a idéia do "sinal verde" que vem empolgando a nossa militância, os pré-candidatos do partido e setores significativos da sociedade.

A verdadeira crise pré-eleitoral, quem enfrenta é o PT. Atropelaram Marta Suplicy - o único nome viável do partido, além de Eduardo Suplicy, considerado "café-com-leite" nas disputas internas - por ordem de Lula e agora têm um mico na mão. Registre-se, aqui, que temos divergências inconciliáveis com Marta e Eduardo Suplicy, mas os respeitamos, como setores do próprio PT não o fazem.

Encruzilhada lulista: Como convencer os partidos aliados no governo federal (PMDB, PR, PDT, PSB, PRB, PCdoB etc.) - ainda que todos tenham seus ministérios e carguinhos na máquina - a desistirem para apoiar o PT? Como fazer Russomanno (com 19% no Datafolha), Netinho (10%), Paulinho (8%) e Chalita (7%) abrirem mão das candidaturas em favor do "PosTe" Haddad (3%)?

Veja que o PT enfrenta um problema extremamente complexo: qualquer candidato petista parte tradicionalmente em São Paulo com índices de 25% a 30% de intenção de votos. O ex-ministro Haddad larga com 10% desse patamar histórico. Um horror! ENEM queira saber o que os petistas pensam disso...

Além de ser um ilustre desconhecido da população (lembrando que a antes desconhecida Dilma Roussef, diferentemente, foi trabalhada por Lula como "mãe do PAC" por anos seguidos antes da eleição), todos os outros partidos apresentam seus pré-candidatos como apoiadores de Dilma.

Sem exceção, Russomanno, Netinho, Paulinho e Chalita - de PRB, PCdoB, PDT e PMDB - fazem parte do consórcio lulodilmista. Isso confunde a cabeça do eleitor e dissipa a influência que teria o apoio de Lula e Dilma na eleição paulistana.

Por outro lado, Serra e Alckmin se uniram por um interesse comum, ainda que o PSDB também estivesse - e esteja - dividido em alas (as pré-candidaturas de Bruno Covas, José Anibal, Andrea Matarazzo e Ricardo Trípoli demonstraram isso; bem como o racha nacional entre Serra e Aécio).

Exímio estrategista e articulador político, o prefeito Gilberto Kassab (PSD), com o comportamento pendular entre PT e PSDB, além da influência que exerce em partidos como PV, PSB e PDT, ajudou a inflacionar o "mercado eleitoral", confundir o eleitorado e afundar o PT na crise - que está só começando.

Um exemplo: a Band tradicionalmente realiza o debate inaugural na TV em todas as eleições com os cinco primeiros candidatos nas pesquisas. Hoje Haddad é o 7º. Tem até o dia 2 de agosto para avançar, senão estaria (em tese) fora do debate. Um acontecimento inédito desde a fundação do PT.

Outra guerra intrapartidária que está apenas começando: definido o apoio ao candidato majoritário (prefeito), os partidos iniciam as negociações para as chapas proporcionais (vereadores). O candidato a prefeito carrega o número do seu partido de origem. Com isso, a tendência é que o voto de legenda para vereador - importante para alavancar a eleição de bancadas mais expressivas - seja maior para partidos que lancem candidatura própria.

O recém-fundado PSD kassabista, para citar o caso mais emblemático, terá 11 vereadores candidatos à reeleição. Isso, sem tempo de TV. Dependerá, portanto, da coligação com Serra e o voto no 45 - o que deixa os tucanos arrepiados. Nas eleições de 2004 e 2008, o PT enfrentou o mesmo dilema: para ter o apoio do PTB e PR, respectivamente, viu sua própria bancada diminuir e "emprestou" votos para eleger nomes dos partidos aliados.

A última da semana: o TSE decidiu proibir qualquer referência a candidatos no twitter - que pode ser interpretada como propaganda antecipada, ou seja, crime eleitoral. O PPS defende a ampla e irrestrita liberdade de expressão nas redes e já tomou providências.

Falta pouco mais de seis meses para a eleição. Como se diria popularmente: a chapa está esquentando.

Leia também:

Candidatura de Soninha reafirma posição do PPS


Será o último sopro de vida da 3ª via em São Paulo?

Veja entrevista de Soninha à Maria Lydia na Gazeta

Veja aqui a íntegra da entrevista de Soninha à CBN

segunda-feira, 19 de março de 2012

Soninha participa de bate-papo com sindicalistas

A pré-candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, participou na manhã desta segunda-feira, 19 de março, de um bate-papo com dirigentes sindicais ligados à UGT - União Geral dos Trabalhadores. O encontro foi organizado pelo presidente do Sindicato dos Padeiros, Chiquinho Pereira.

domingo, 18 de março de 2012

Soninha fala sobre Habitação na zona Sul

A pré-candidata do PPS à prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, participou na manhã deste domingo (18/3) de reunião de moradores do Jardim Tupã, zona sul da cidade, que estão na fila de espera da sonhada casa própria. Todos estão cadastrados no programa do governo federal “Minha Casa, Minha Vida”.

Na oportunidade, Soninha discursou para mais de 600 pessoas presentes ao CDC IV Centenário e abordou a questão habitacional da cidade.

Segundo ela, as longas distâncias entre casa e trabalho são um dos principais problemas da cidade. “É preciso que o Poder Público cumpra a função social da sociedade e traga as pessoas que moram nos extremos de São Paulo para as regiões mais centrais, com maior oferta de transporte de equipamentos públicos”, afirmou Soninha. (César Hernandes)

sexta-feira, 16 de março de 2012

PPS debate soluções para mobilidade e transporte

O PPS paulistano promoveu novo encontro entre os seus mais de 100 pré-candidatos e especialistas para a formulação do Programa de Governo de Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo.

Desta vez o tema foi "Mobilidade Urbana e Transporte" - na noite de quinta-feira, 15 de março, com auditório lotado na Câmara Municipal pela terceira semana consecutiva.

Participaram do evento, entre outros, Ailton Brasiliense, presidente da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP); José Carlos Martinelli, diretor de tecnologia da SPTrans; Luís Carlos Branco, superintendente da ANTP; Ricardo Correa, da TC Urbes, especialista em sistemas cicloviários; e Marco Nordi, do grupo de trabalho de Mobilidade Urbana da Rede Nossa São Paulo.

Reveja aqui quatro programas de TV da campanha de 2008 da Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo que tratam de mobilidade e transporte: 1, 2, 3 e 4.

Para Marco Nordi, da Rede Nossa São Paulo, é essencial para a cidade ganhar um Plano de Mobilidade Urbana, exigido por lei, mas que ainda não saiu do papel.

“É importante esse plano ser apresentado, para vermos o que ele traz de bom para o futuro da cidade e para os gestores públicos, quais são os benefícios tanto para a administração quanto para a população”, disse Nordi.

Ele também considera importante os gestores estabelecerem uma série de indicadores para serem acompanhados pela população, que poderá cobrar de seus representantes quando algo estiver errado.

O vereador Cláudio Fonseca, líder do PPS, enfatizou a necessidade de melhorar o transporte público da capital. “Nós temos um sistema viário que já é incapaz de comportar a frota de automóveis. Mais do que expandir o complexo viário, precisamos ter mais corredores de ônibus, fazer com que o transporte coletivo seja mais veloz e que sejam implantados semáforos inteligentes.”

Ele também apontou que faria bem ao trânsito se São Paulo tivesse bairros menos desiguais, sem uma concentração tão grande das atividades econômicas no centro.

A pré-candidata do PPS à prefeitura paulistana, Soninha Francine, reitera: “Existem os bairros-dormitório, as cidades-dormitório da Região Metropolitana, onde mora muita gente e tem pouquíssima atividade econômica, pouquíssimos equipamentos públicos e infraestrutura. Por outro lado, na região central, que é muito provida disso tudo, mora cada vez menos gente”. (Com informações do site da Câmara Municipal e foto de RenattodSousa)

Calendário de atividades

Todos os encontros do PPS têm transmissão online e posteriormente o conteúdo é disponibilizado nos meios de comunicação do partido. O próximo tema é "Educação na cidade de São Paulo", na próxima quinta-feira, 22 de março, sob a coordenação do vereador Claudio Fonseca, líder do PPS e presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal (Sinpeem). Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

Os encontros são realizados sempre às quintas-feiras, a partir das 19h, na Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 - Bela Vista) e servem para a formulação do Programa de Governo do PPS e orientação dos pré-candidatos na chapa de Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo.

Segue abaixo o calendário com os próximos temas a serem debatidos, com a participação de especialistas e dos pré-candidatos do PPS, tendo como ponto em comum de todos os eventos a sustentabilidade:

22/3 – “Educação” – Coordenação de Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

29/3 – "Meio Ambiente e Cidade Sustentável" – Coordenação de Soninha Francine, Ricardo Young, José Valverde e Arnaldo Jardim. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

12/4 – “Emprego e Renda / Desenvolvimento Social” – Coordenação de Davi Zaia, Chiquinho Pereira e José Antonio Cipolla. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

19/4 – “Saúde” – Coordenação do Dr. Mamede, Dra. Maira Saad e Dr. Roger Lin. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

26/4 – “Habitação e Plano Diretor” - Coordenação de Ulrich Hoffmann, Paulo Cesar de Oliveira e Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

10/5 – “Esporte, Cultura, Lazer e Qualidade de Vida” - Coordenação de Soninha Francine, Vitor Adami, Mauricio Huertas e Heraldo Correa. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

17/5 – “Diversidade, direitos e garantias" - Coordenação de Soninha Francine, Lylian Concellos, Pai Guimarães e coordenadores temáticos. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

24/5 - "Segurança" - Coordenação de Soninha Francine e Ari Friedenbach. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

31/5 - "Orçamento da cidade, democratização e fortalecimento do Poder Local" - Coordenação de Paulo Cesar de Oliveira. Local: Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

Leia também:

É possível SP não ter espaço para as bicicletas?

PPS abre ciclo de encontros com pré-candidatos

Pré-candidatos do PPS debatem as Subprefeituras

PPS recorre ao STF contra proibição do twitter

O presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire (SP), anunciou, nesta sexta-feira, que o partido vai ingressar com mandado de segurança contra a decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de probir o uso do twitter antes do início da campanha eleitoral, em 6 de julho.

A proibição é resultado do julgamento do caso envolvendo o ex-deputado federal Índio da Costa (PSD), que foi multado em R$ 5 mil na campanha eleitoral de 2010 por divulgar mensagem na rede social que pedia votos para o então candidato José Serra. Ele era o vice do tucano.

Por quatro votos a três, os ministros mantiveram a multa e afirmaram que o twitter é um meio de divulgação de propaganda eleitoral. Portanto, a Justiça Eleitoral deve coibir irregularidades praticadas, assim como faz com propagandas indevidas na televisão, no rádio, em revistas e em jornais. Se os adversários políticos detectarem alguma ilegalidade nas mensagens eleitorais divulgadas no twitter, devem denunciar a prática à Justiça Eleitoral.

Os ministros Aldir Passarinho, Marcelo Ribeiro, Arnaldo Versiani e o presidente do tribunal, Ricardo Lewandowski, afirmaram que o twitter tem larga amplitude e, por isso, deve ser tratado com um meio de comunicação poderoso em campanhas eleitorais.

- Usar o twitter é como mandar e-mail. Não é uma forma de propaganda? Claro que é. Enquanto o Congresso Nacional não estabelecer de forma diversa, as redes sociais também estão inseridas na proibição (da propaganda antecipada) - disse Versiani.

- Fiquei impressionado com a contundência da mensagem política (de Índio da Costa). Foram atingidas 40 mil pessoas. Esse número pode ser ampliado progressivamente no twitter - argumentou Lewandowski.

Os ministros Cármen Lúcia, Dias Toffoli e Gilson Dipp defenderam a liberação do uso do twitter para fins eleitorais mesmo no período da pré-campanha. Para eles, limitar as manifestações nas redes sociais é uma forma de cercear a liberdade de expressão.

- O twitter não tem como ser controlado nos termos do direito de resposta tradicionais. As pessoas conversam e, em vez de ser uma mesa de bar, é uma mesa de bar virtual. Nós vamos impedir que as pessoas se manifestem? Pode se ter 40 milhões de pedidos de direito de resposta, impedindo até que a Justiça Eleitoral funcione -alertou Cármen Lúcia.

Para Roberto Freire, a decisão do TSE viola o direito de livre pensamento previsto na Constituição. Ele disse que o mandato de segurança será impetrado assim que a decisão for publicada pelo tribunal - anunciada ontem e contestada na mesma hora pelo twitter @23pps, do PPS/SP, que sugeriu uma Ação Direta de Inconsticionalidade (ADI) em diálogo com o jornalista Fernando Rodrigues, da Folha de S. Paulo.

Leia também: Josias de Souza e Fernando Rodrigues.

Padeiros convidam para bate-papo com Soninha

quinta-feira, 15 de março de 2012

Candidatura de Soninha reafirma posição do PPS

PPS faz 20 anos em 2012; e 90 anos da trajetória PCB/PPS

Fazer política não é tarefa das mais fáceis, tamanha a quantidade de escândalos e o índice de incredulidade - ou verdadeira ojeriza - da população. Mas os políticos não são todos iguais: uns tratam a política como balcão de negócios, outros a vêem como instrumento legítimo da mediação de conflitos e interesses da sociedade.

Imagine, então, a dificuldade de se fazer política num partido considerado pequeno, que preza a ética, a coerência, o bom senso e a transparência. Um partido que tem a coragem de se declarar oposição a um governo federal incensado por índices de aprovação altíssimos, talvez "como nunca antes na história deste país".

O PPS vive um momento único. Peguemos o exemplo de São Paulo - que, modéstia à parte, serve de referência para todo o país. Há uma direção coesa: o diretório municipal presidido por Carlos Fernandes, o estadual por Davi Zaia e o nacional por Roberto Freire mantêm a unidade sem perder sua autonomia.

Eleição de 2012

A candidatura de Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo - com índices de intenção de votos de 7% a 11% no Datafolha e no Ibope; a construção de uma chapa completa à Câmara Municipal, preenchendo a cota de homens e mulheres; a atuação destacada de seus parlamentares; a participação firme e irretocável de seus representantes no Executivo - são fatores que comprovam os acertos na condução do partido.

Porém, como era de se esperar, não existe unanimidade na democracia: há vozes dissonantes que questionam alguns posicionamentos do PPS. De um lado, criticam a oposição sistemática do PPS ao que se convencionou chamar de lulopetismo: os governos de Lula e Dilma, e a coalizão fisiológica de partidos que loteiam a máquina pública. Há um certo incômodo com o papel oposicionista do PPS, que acaba sendo identificado por críticos (e até por aliados) como linha auxiliar do PSDB.

Por outro lado, causa rebuliço quando o PPS busca se afirmar como alternativa à polarização PT x PSDB - seja na construção de candidatura própria ou na busca de aliança com outros partidos, lideranças e segmentos sociais. O burburinho aumentou com o artigo "Um Sinal Verde para São Paulo", publicado na Folha.

Chegam "recados" de todos os lados (ou, na verdade, de um lado só), como se reafirmar a independência do PPS fosse um pecado mortal: "É um absurdo que o PPS se declare equidistante do PT e do PSDB!"; "Como comparar petistas e tucanos?"; "O PPS não entende que é importante impedir que o PT se instale também em São Paulo, nessa tática sectária e hegemonista?".

Pois vamos esclarecer o nosso posicionamento, nas palavras do presidente do PPS paulistano, Carlos Fernandes:

Em primeiro lugar, o PPS de São Paulo vem cumprindo à risca as deliberações das direções nacional, estadual e municipal. Ao apresentar a candidatura de Soninha Francine à Prefeitura, reafirmamos e valorizamos o PPS (como já fizemos em 2008), e temos como resposta da sociedade para a nossa proposta índices de 7% a 11% de intenção de votos no Datafolha e no Ibope - o que coloca a nossa candidata com o melhor desempenho do partido em todo o país.

Estamos reunindo semanalmente a nossa militância e os nossos mais de 100 pré-candidatos a vereador. Temos uma direção unida, madura, representativa das forças que atuam politicamente no partido e na cidade. A posição do PPS e o nosso peso político vêm sendo destacados na imprensa exatamente por causa da nossa atuação coerente, consistente e pela viabilidade da nossa candidatura própria.

Não parece ser o caso, nesta eleição paulistana, da urgência de se formar uma frente ampla para preservar as instituições democráticas da "ameaça petista". Se fosse o caso, o PPS teria também a maturidade e sensibilidade suficiente para tal proposta.

Os companheiros que entenderem que o PPS de São Paulo não está agindo de acordo com os rumos apontados em nossos congressos, ou de forma equivocada diante da conjuntura política, podem sempre apresentar uma proposta alternativa e obter o apoio do conjunto partidário para mudar o que estamos propondo. Do contrário, fica apenas na avacalhação - o que não acrescenta nada ao PPS ou à cidade.


Leia também:

Entre tantos partidos, por que o PPS?

#REDE 23 - A Rede da Esquerda Democrática

Soninha é candidata à Prefeitura de São Paulo

Hoje, dia 15, 19h: Mobilidade Urbana e Transporte

Prossegue nesta quinta-feira, 15 de março, a série de encontros temáticos do PPS paulistano. Dessa vez o tema é "Mobilidade Urbana e Transporte”, sob coordenação de Soninha Francine. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal, 19h.

Assista AQUI, ao vivo, a partir das 19h desta quinta-feira (15/3). Todos os encontros do PPS têm transmissão online e posteriormente o conteúdo é disponibilizado nos meios de comunicação do partido.

Também participam Luís Carlos Branco, superintendente da ANTP - Associação Nacional de Transportes Públicos; Ricardo Correa, do TC Urbes, que falará sobre o sistema cicloviário; Marco Nordi, representante da Rede Nossa São Paulo; e Ulrich Hoffmann, ex-presidente da SPTrans.

Os encontros são realizados sempre às quintas-feiras, a partir das 19h, na Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 - Bela Vista) e servem para a formulação do Programa de Governo do PPS e orientação dos pré-candidatos na chapa de Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo.

Reveja aqui quatro programas de TV da campanha de 2008 da Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo que tratam de mobilidade e transporte: 1, 2, 3 e 4.

Segue abaixo o calendário com os próximos temas a serem debatidos, com a participação de especialistas e dos pré-candidatos do PPS, tendo como ponto em comum de todos os eventos a sustentabilidade:

15/3 - "Mobilidade Urbana e Transporte” - Coordenação de Soninha Francine. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

22/3 – “Educação” – Coordenação de Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

29/3 – "Meio Ambiente e Cidade Sustentável" – Coordenação de Soninha Francine, Ricardo Young, José Valverde e Arnaldo Jardim. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

12/4 – “Emprego e Renda / Desenvolvimento Social” – Coordenação de Davi Zaia, Chiquinho Pereira e José Antonio Cipolla. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

19/4 – “Saúde” – Coordenação do Dr. Mamede, Dra. Maira Saad e Dr. Roger Lin. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

26/4 – “Habitação e Plano Diretor” - Coordenação de Ulrich Hoffmann, Paulo Cesar de Oliveira e Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

10/5 – “Esporte, Cultura, Lazer e Qualidade de Vida” - Coordenação de Soninha Francine, Vitor Adami, Mauricio Huertas e Heraldo Correa. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

17/5 – “Diversidade, direitos e garantias" - Coordenação de Soninha Francine, Lylian Concellos, Pai Guimarães e coordenadores temáticos. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

24/5 - "Segurança" - Coordenação de Soninha Francine e Ari Friedenbach. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

31/5 - "Orçamento da cidade, democratização e fortalecimento do Poder Local" - Coordenação de Paulo Cesar de Oliveira. Local: Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

Leia também:

É possível SP não ter espaço para as bicicletas?

PPS abre ciclo de encontros com pré-candidatos

Pré-candidatos do PPS debatem as Subprefeituras

quarta-feira, 14 de março de 2012

Veja entrevista de Soninha à Maria Lydia na Gazeta

O PPS avalia que existe uma saturação da polarização entre PT e PSDB e lança candidatura própria à Prefeitura de São Paulo. A jornalista Maria Lydia entrevistou a pré-candidata do PPS, Soninha Francine, ex-vereadora e ex-subprefeita da Lapa, no Jornal da Gazeta desta terça-feira, 13 de março. Assista.

terça-feira, 13 de março de 2012

Maria Lydia entrevista Soninha hoje na TV Gazeta

A pré-candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, é a entrevistada da jornalista Maria Lydia nesta terça-feira, 13 de março, ao vivo, durante o Jornal da Gazeta, entre 19h e 20h.

Reveja os bastidores da entrevista da então candidata na campanha de 2008, no mesmo Jornal da Gazeta: parte 1 e parte 2.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Veja aqui a íntegra da entrevista de Soninha à CBN

‘Não quero ser governadora, nem presidente, nem parlamentar. Eu quero ser prefeita’.



Ouça aqui a entrevista na íntegra.

A pré-candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, participou do programa CBN São Paulo, apresentado pela jornalista Fabíola Cidral, nesta quinta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher.

Pré-candidatos do PPS debatem as Subprefeituras

Pela segunda semana consecutiva - desta vez com o tema "Subprefeituras (Gestão eficiente, transparente e participativa)" – o PPS reuniu na Câmara Municipal seus mais de 100 pré-candidatos a vereador para as eleições de 2012.

Com apresentações do presidente municipal do PPS, Carlos Fernandes, ex-subprefeito da Lapa, e do secretário-geral Nelson Teixeira, ex-subprefeito da Casa Verde, foram debatidos assuntos relativos à descentralização administrativa e questões pertinentes aos dez anos de implantação das subprefeituras.

Os encontros temáticos do PPS são realizados sempre às quintas-feiras, a partir das 19h, na Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 - Bela Vista) e servem para a formulação do Programa de Governo do PPS e orientação dos pré-candidatos na chapa de Soninha Francine à Prefeitura de São Paulo.

Todos os encontros do PPS têm transmissão online e posteriormente o conteúdo é disponibilizado nos meios de comunicação do partido. A rodada de encontros temáticos começou em 1º de março. O PPS paulistano reuniu mais de cem pré-candidatos a vereador para tratar de Legislação Eleitoral: "O que pode e o que não pode fazer um pré-candidato", com palestra do advogado Anderson Pomini; e "O que é ser vereador: o funcionamento da Câmara Municipal", com Soninha Francine e Claudio Fonseca. Assista AQUI os vídeos do evento. Veja AQUI os slides sobre Legislação Eleitoral.

Segue abaixo o calendário com os próximos temas a serem debatidos, sempre às quintas-feiras, na Câmara Municipal de São Paulo, a partir das 19h, com a participação de especialistas e dos pré-candidatos do PPS, tendo como ponto em comum de todos os eventos a sustentabilidade:

15/3 - "Mobilidade Urbana e Transporte” - Coordenação de Soninha Francine. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

22/3 – “Educação” – Coordenação de Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

29/3 – "Meio Ambiente e Cidade Sustentável" – Coordenação de Soninha Francine, Ricardo Young, José Valverde e Arnaldo Jardim. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

12/4 – “Emprego e Renda / Desenvolvimento Social” – Coordenação de Davi Zaia, Chiquinho Pereira e José Antonio Cipolla. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

19/4 – “Saúde” – Coordenação do Dr. Mamede, Dra. Maira Saad e Dr. Roger Lin. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

26/4 – “Habitação e Plano Diretor” - Coordenação de Ulrich Hoffmann, Paulo Cesar de Oliveira e Claudio Fonseca. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

10/5 – “Esporte, Cultura, Lazer e Qualidade de Vida” - Coordenação de Soninha Francine, Vitor Adami, Mauricio Huertas e Heraldo Correa. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

17/5 – “Diversidade, direitos e garantias" - Coordenação de Soninha Francine, Lylian Concellos, Pai Guimarães e coordenadores temáticos. Local: Sala A, 1º Subsolo da Câmara Municipal.

24/5 - "Segurança" - Coordenação de Soninha Francine e Ari Friedenbach. Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

31/5 - "Orçamento da cidade, democratização e fortalecimento do Poder Local" - Coordenação de Paulo Cesar de Oliveira. Local: Local: Plenarinho da Câmara Municipal, 1º andar.

Leia também:

PPS abre ciclo de encontros com pré-candidatos

Carlos Fernandes: "Subprefeituras, 10 anos depois"

Sinal verde: "Quem disse que política é tudo igual?

Um sinal verde para requalificar a Câmara Municipal